MUDAR DE CARREIRA

Conheça histórias de quem optou mudar de carreira

01-01-2017
Fonte: Redação
Foto: Reprodução

Mudar o rumo da sua trajetória profissional é uma atitude de coragem que muitas pessoas encaram com a chegada de um novo ano. Diversos cursos, no Brasil ou no exterior, podem abrir portas para outras profissões e conectar seus estudantes mais destacados com um mercado diferente, porém bastante receptivo.

Basta ver exemplos nas histórias abaixo: do médico que empreendeu após o MBA à publicitária que descobriu durante um período em Nova York que se sentiria realizada como pet-sitter.

A mudança exige coragem; estudar fora também. Mas estes cinco profissionais estão aí para provar que o risco vale (muito) a pena:

Fred Veloso, o médico que encontrou sua vocação nos palcos

Durante a faculdade de medicina, o ator Fred Veloso se encontrou na atuação. Formou-se e começou a planejar a transição completa de carreira: fez um curso de verão na tradicional Escola Guildhall, na Inglaterra, e depois, em 2010, foi aprovado na escola Stella Adler, em Nova York (EUA).

Danielle Brants, do mercado financeiro ao empreendedorismo em educação

Depois de passar dez anos trabalhando no mercado financeiro, Danielle Brants realizou-se ao fundar uma startup de letramento adaptativo. Um curso em Harvard a ajudou a entender o mercado e as perspectivas para quem desejava empreender na área.

Fernanda Falci, de publicitária a pet-sitter

Fernanda Falci formou-se em Comunicação Social muito nova, com 21 anos. Depois de um período trabalhando na área, foi diagnosticada com hipotireoidismo causado por estresse – o que a afastou do mercado de trabalho. Sem emprego e deprimida, foi estudar inglês em Nova York, onde teve contato com algo relacionado ao mercado em que hoje atua: o de cuidados com animais de estimação. “Conheci pessoas com outras percepções do que é sucesso, felicidade, realização, trabalho e vida. Abriu a minha cabeça.”

Lucas Ferreira, de redator publicitário a chef de cozinha

Algumas mudanças de carreira são planejadas a longo prazo, com cursos preparatórios e muita pesquisa. Esse não é o caso de Lucas Ferreira – tanto é que ele foi fazer uma entrevista procurando uma vaga para redator publicitário e acabou conseguindo um posto na cozinha de um restaurante em Portugal. E ele saiu feliz da vida com o novo emprego, optando por seguir a nova carreira como chefe de cozinha a partir desse momento.

Fábio Katayama, um médico no MBA de Harvard

“Eu sempre gostei de negócios, mas também me interessava pela área da saúde, então…” Esta dualidade acompanhou a trajetória de Fábio Katayama desde a escolha da sua graduação até quando decidiu empreender, ao voltar do seu MBA em Harvard. Assim, o caminho entre a entrada na faculdade de Medicina e a posição de presidente da empresa que fundou foi marcado por escolhas de carreira pouco óbvias – entre elas, a formação para cirurgião e a passagem por uma consultoria de negócios.

 

Compartilhe nas mídias sociais