INCENTIVOS FISCAIS

Atacadistas e distribuidores discutem incentivo fiscal em encontro anual do setor

Além de gerar emprego e renda, as duas entidades atacadistas realizam durante todo o ano uma série de trabalhos sociais,
14-09-2018
Fonte: Luciane Mildemberg
Foto: Reprodução

Incentivo fiscal como ferramenta de desenvolvimento e o futuro do segmento atacadista e distribuidor são temas do 18º Encontro Anual do Setor Atacadista e Distribuidor de Mato Grosso, que acontece nesta sexta-feira (14.09), no Hotel Odara, em Cuiabá. O evento é promovido pela Associação Mato-grossense de Atacadistas e Distribuidores (AMAD) e pelo Sindicato do Comercio Atacadista e Distribuidor do Estado de Mato Grosso (SINCAD-MT).

A abertura do encontro está prevista para às 9h30. Na sequência, será realizada a palestra "Incentivo fiscal como ferramenta de desenvolvimento", com o advogado e contador Ranieri de Souza, renomado tributarista do estado de Goiás. Às 11h30 está programada a palestra magna sobre "Perspectivas futuras do setor atacadista e distribuidor", com o economista Nelson Barrizzelli, mestre e doutor pela Universidade de São Paulo.

Segundo o presidente da AMAD, João Carlos Sborchia, é fundamental discutir o futuro do setor, ainda mais no momento político e econômico que o estado e o país vivem. "Vamos debater os incentivos fiscais em uma plenária, com a participação de representantes das Federações do Comércio, autoridades, políticos e empresários. É importante falar sobre esse assunto e tirar a pecha de que incentivo fiscal é coisa ruim. Incentivo fiscal tem que ser tratado com muito cuidado, com uma política própria e forte sobre o assunto", alertou. 

O faturamento anual do setor atacadista e distribuidor de Mato Grosso gira em torno de R$ 5 bilhões, com uma frota de aproximadamente 10 mil caminhões e carros, e a geração de mais de 40 mil empregos diretos e indiretos em todo o Estado. "Somos geradores de emprego e renda e abastecemos 62% do canal varejista do estado. Portanto, não podemos deixar de discutir assuntos que envolvem as empresas, como incentivos fiscais e o futuro do setor", lembrou o presidente do SINCAD-MT, Sebastião dos Reis Gonçalves (Tião da Zaeli). 

Há alguns anos os atacadistas e distribuidores de Mato Grosso sofrem com problemas logísticos, restrições tributárias e a forte concorrência de atacados de outros estados que são beneficiados com incentivos fiscais. "O estado de Goiás é o grande concorrente para atacadistas de Mato Grosso e de todo o Brasil, que num raio de mil quilômetros invade o mercado. O incentivo fiscal de Goiás é muito agressivo, tanto que um atacadista de lá fatura por todos os nossos. Essa política precisa mudar, por isso a importância desse encontro", concluiu o executivo da AMAD e do SINCAD-MT, Marcos Taveira. 

Além de gerar emprego e renda, as duas entidades atacadistas realizam durante todo o ano uma série de trabalhos sociais, por meio da AMAD Mulher, com a finalidade de melhorar a qualidade de vida de pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade. Somente em 2017 foram doados mais de 50 mil quilos de alimentos, 5 mil fraldas geriátricas, 3 mil cobertores, milhares de caixas de produtos de limpeza e higiene, brinquedos e roupas, e R$ 250 mil em dinheiro a projetos socioculturais. "Graças aos esforços dos empresários atacadistas foi possível colaborar com 31 instituições sociais, beneficiando mais de 16 mil pessoas, dentre elas crianças e idosos”, destacou a presidente da AMAD Mulher, Sheila Sborchia. 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



FINANÇAS PESSOAIS