PRODUÇÃO DE SEMIJÓIA

De uma produção de semijoias na garagem para sociedade da rede Mapa da Mina

06-01-2018
Fonte: Redação
Foto: Reprodução

Marcos Pertile é um exemplo de que empreender no que se sabe fazer é a porta de abertura para um grande negócio. Hoje, 27 anos depois de começar a fabricar sozinho suas próprias semijoias, ele é sócio do Mapa da Mina e faturou R$ 12 milhões em 2016.  

Sua trajetória profissional começou ainda jovem. Estudou mecânica durante a adolescência e aos 19 anos trabalhava em uma empresa da área. Foi aí que começou a observar o trabalho do irmão e se interessar por semijoias . "Vi que meu irmão trabalhava muito, virava a noite. Ele começou a ter uma ascensão financeira e me despertou a vontade e a curiosidade de trabalhar por conta", diz o empresário. 

Depois disso, Pertile pediu ao irmão que lhe ensinasse o ofício e passou a usar o espaço da empresa pra produzir suas semijoias fora do horário de funcionamento. Na época, o empreendedor trabalhava durante o dia e passava a noite fazendo as peças. Quando pegou gosto pelo negócio, pediu demissão e resolveu investir de vez no sonho de se tornar um empresário de sucesso.

Oficina improvisada 

A primeira oficina de Pertile foi a garagem da casa dos pais. Com o dinheiro que ganhou na rescisão do contrato, comprou equipamentos e deixou de terceirizar a parte da soldagem e montagem das peças, passando a produzir tudo por conta própria. Os brincos, anéis e colares que produzia, no entanto, ainda não era vendidos diretamente ao consumidor final, mas, sim, para empresas que banhavam os produtos em ouro.

Com o tempo, os negócios foram crescendo e as possibilidades do empresário também. Ele passou a cuidar da parte de banho em ouro e, mais tarde, da fundição, colocando no mercado peças brutas mais elaboradas. 

Toda essa inquietude de Pertile tinha uma razão: honrar o irmão, que sempre foi um exemplo para ele. "A minha ideia era ter o mesmo sucesso que meu irmão tinha na época. Ele era meu espelho. Eu o via construindo seu prédio, sua casa. Sempre trabalhei para isso", afirma.

Caminho de ouro 

Apesar de terem dado certo desde o início, os negócios do empresário tiveram uma virada muito grande em 2013. Neste ano, Jamil Machado, fundador do Mapa da Mina , o convidou para ser seu sócio na empresa varejista. A ideia era usar a estrutura de Pertile para fazem com a marca passasse a ter produção própria.

O sucesso do novo Mapa da Mina foi imediato. "Com varejo e indústria, você está em todas as frentes", definiu. A empresa começou a ter maiores demandas e precisou encontrar uma forma de expandir os negócios. Foi assim que os sócios chegaram à conclusão de que deveriam abrir a marca para franquias. 

A implantação do novo modelo de negócios teve início em 2015. De lá para cá, já foram abertas 15 unidades da marca, todas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Neste ano, Pertile teve outra grande sacada para a expansão dos negócios: criou o modelo Express, que promete colocar o Mapa da Mina em mais localidades de maneira mais simples. Escolhendo essa opção, os investidores adquirem torres expositoras que podem ser colocadas em diferentes estabelecimentos comerciais, como perfumarias e salões de beleza.

Futuro brilhante 

Com todos os investimentos, a expectativa do empreendedor é que a marca tenha um salto significativo no faturamento deste ano, de cerca de 5%. Os resultados ainda não podem ser fechados pois, segundo Pertile, o mês de dezembro representa de 30% a 40% de todo o faturamento anual da rede de semijoias.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



FINANÇAS PESSOAIS