COMÉRCIO VAREJISTA

Vendas do comércio varejista de Mato Grosso tiveram alta de 2,9%

16-04-2018
Fonte: Redação
Foto: Reprodução

Apesar da média nacional ter registrado alta de 1,3% nas vendas do comércio, Mato Grosso foi além registrando alta de 2,9%. O estado foi o único do Centro-Oeste com desempenho positivo sobre o volume de vendas do comércio varejista, em fevereiro. 

Os dados são do IBGE, por meio da Pesquisa Mensal do Comércio, mostram que os outros estados do Centro-Oeste tiveram resultados negativos, sendo Goiás (-9,7%) e o Distrito Federal (-8,2%) com as maiores baixas do país. Mato Grosso do Sul também fechou fevereiro com perdas, -3,6%. De todos os estados da federação, dez deles tiveram performance anual negativa. 

Na comparação mensal, com janeiro, o comércio mato-grossense registrou perdas (-1,2%). Goiás teve leve alta de 0,6%, Mato Grosso do Sul se manteve estável (0,0%) e o Distrito Federal, -3%. 

As vendas do comércio varejista de Mato Grosso encerraram 2017 com alta de 6,5%. 

NACIONAL  - Na comparação com fevereiro do ano passado, houve alta de 1,3%. O varejo acumula avanços de 2,3% no ano e de 2,8% em 12 meses. 

De janeiro para fevereiro deste ano, metade dos segmentos teve queda, com destaque para os tecidos, vestuário e calçados (-1,7%). Outras atividades em queda foram combustíveis e lubrificantes (-1,4%), outros artigos de uso pessoal (-0,8%) e supermercados, alimentos, bebidas e fumo (-0,6%). 

A outra metade teve alta: equipamentos e material para escritório, comunicação e informática (2,7%), livros, jornais, revistas e papelaria (1,6%), móveis e eletrodomésticos (1,5%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (0,8%). 

O chamado varejo ampliado, que também inclui materiais de construção, veículos e autopeças, teve queda de 0,1% de janeiro para fevereiro. Os veículos, motos, peças e partes cresceram 2,5%, enquanto os materiais de construção anotaram alta de 0,3% no volume de vendas. 

Nos outros tipos de comparação temporal, o varejo ampliado registrou expansão de 0,1% na média móvel trimestral, de 5,2% em relação a fevereiro de 2017, de 5,9% no acumulado do ano e de 5,4% no acumulado de 12 meses.

Compartilhe nas mídias sociais