Agricultores de Mato Grosso citam seca e ataque de pragas como principais problemas

Agricultores de Mato Grosso citaram a seca e ataque de pragas como os principais problemas em suas lavouras. O município de Primavera do Leste, por exemplo, deve colher menos milho nesta safra de 2020/21, pois os fatores diminuíram a produtividade do cereal no campo.

A seca e ataque de pragas prejudicam principalmente as lavouras cultivadas fora da janela ideal, deixando os produtores da região apreensivos.

De acordo com o presidente do sindicato rural de Primavera do Leste, Marcos Bravin, nesta safra foram cultivados cerca de 700 mil hectares de milho na região. Entretanto, a estimativa de perdas de produtividade no campo pode passar dos 30%.

Ele relata que o cultivo começou em meados de fevereiro, porém, começou a chover muito forte na época, atrasando o plantio que terminou em março. “Em seguida veio ataque de percevejo barriga verde, também teve a tal da cigarrinha que tirou o sono de todos os produtores daqui”, relata sobre o ataque das pragas.

“A expectativa era produzir igual o ano passado uma média de 113 sacos por hectare, mas esse ano deve produzir de 75 a 80 sacas por hectare”, projeta sobre a crise.

Na opinião do presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, com uma safra abaixo do esperado, o custo do produtor deve aumentar. Por isso, ele recomenda cautela ao produtor de milho.

“Vai ser uma safra bem abaixo do esperado, então obviamente isso causa impactos, as contas não vão ser as mesmas feitas antes. O produtor agora tem que ter cautela, terminar de colher avaliar o que fazer. O que tem que imperar nesse momento é o bom senso”, reforça.

Leia também: Setor do agronegócio precisa investir em proteção de dados de clientes

Tagged: , , , , , , , , ,