Animais de confinamento começam a chegar e impactam positivamente nos abates

Dados divulgados pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT), em conjunto com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), mostram incremento na movimentação de abates de bovinos, no Estado, na passagem de julho para agosto. Foram 449,37 mil cabeças, alta 4,18% ante o mês anterior.

Conforme os analistas do Imea, o que colaborou para esse movimento mensal de alta foi o avanço de 17,75% no abate de machos, na comparação com julho, que totalizou cerca de 298,66 mil cabeças no mês. “Essa alta esteve pautada, principalmente, pela maior entrega de animais do primeiro giro de confinamento, uma vez que o abate de machos de 12 a 24 meses demonstrou incremento de 55,50% no comparativo mensal. Por outro lado, com a retenção mais intensa, o abate de fêmeas recuou 7,54% ante a jul.21 e totalizou 150,71 mil cabeças”.

Em razão dos efeitos do caso de ‘Vaca Louca’ e com a redução natural das exportações a partir de outubro, é esperada redução no saldo de abates em Mato Grosso, numa relação direta com o arrefecimento da demanda.

Os analistas destacam ainda que apesar da variação positiva no comparativo mensal, o ritmo atual está aquém do registrado em igual momento do ano passado. Em relação a agosto de 2020 há decréscimo de 8,49%, visto que naquele momento haviam sido abatidas 491,04 mil cabeças no período.

SALDO – No primeiro semestre de 2021, o volume de animais abatidos e a produção de carne recuaram 10,82% e 8,11%, respectivamente, ante o mesmo período de 2020, em Mato Grosso. Segundo os dados divulgados pelo IBGE, o recuo citado para o abate de bovinos foi influenciado, principalmente, pela categoria das fêmeas, a qual resultou em queda de 19,76% no mesmo comparativo.

Como destacam os analistas do Imea, esse cenário ainda foi reflexo do ciclo pecuário, em que a retenção das fêmeas tem ocorrido de maneira mais intensa neste ano. Como consequência, a produção total de carne recuou aproximadamente 52,2 mil toneladas no comparativo com o mesmo período de 2020. Contudo, entre o segundo trimestre de 2021 e o primeiro trimestre deste ano, houve elevação de 6,51% no volume produzido de carne. Nesse sentido, o rendimento médio de carcaça de bovinos apresentou alta de 0,70% nesse comparativo trimestral, com resultado médio de 18,52 arrobas por animal em Mato Grosso.

Leia também: Pecuarista que trabalha com recria-engorda vive o pior momento de poder de compra; analista recomenda estratégias

Tagged: , , , ,