Antecipação do período de chuvas requer atenção ao manejo das pastagens

Com o início do período das águas adiantado neste ano, em Mato Grosso, a germinação das pastagens desperta no pecuarista a necessidade e a possibilidade de realizar um melhor manejo do pasto para a alimentação dos bovinos, já que o bom desenvolvimento das pastagens possibilitará tanto um melhor aproveitamento dos nutrientes, quanto um maior ganho de peso aos animais.

A média de chuvas no Estado, registrada até outubro, já supera o verificado no mesmo período do ano passado, de acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). A média de chuvas foi de 20,13 milímetros (mm), o que representa um volume 6,58% maior que o de 2020.

Somente no acumulado das chuvas que caíram entre os dias 3 de setembro e 14 de outubro, foram registrados 43,37 milímetros, um resultado 150% maior do que o observado no mesmo período do ano passado.

As regiões médio norte, noroeste e nordeste registraram aumento de 215%, 197% e 179%, respectivamente, no volume de chuvas. Por outro lado, no mesmo período, a região sudeste registrou o menor volume dos últimos três anos, com 9,30 milímetros.

Com esse cenário de mais precipitações, o planejamento nutricional em regime de pasto é essencial para ter uma boa produtividade nas fazendas de pecuária, já que a alimentação a pasto tem menor custo e continua sendo a maneira mais barata e a mais utilizada para alimentar o rebanho.

“Esse período de chuvas vem para ajudar o produtor, pois se torna opção para a terminação desses animais, para melhorar a engorda e ir para o abate. O ideal seria que, antes de começarem as chuvas, o produtor fizesse a análise do solo de todas as pastagens para verificar o que estivesse faltando de nutrientes para que ele pudesse complementar e a pastagem crescesse muito melhor”, explicou Nilton Mesquita, gerente de relações institucionais da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).

Ainda segundo Nilton, a recuperação da pastagem é a principal alternativa para reduzir o custo de produção, especialmente diante do aumento expressivo, registrado ao longo do último trimestre, nos gastos com insumos utilizados na alimentação do rebanho confinado ou semi-confinado.

“A melhora da chuva vai ajudar no pasto, que vai trazer benefícios ao produtor, que poderá deixar de confinar o animal, e terminar o animal no pasto ou no semi-confinamento. O produtor terá várias opções para trabalhar”, concluiu o gerente.

MAIS CHUVAS – A previsão é de que nos próximos 30 dias o cenário de chuvas se mantenha favorável, ainda de acordo com o Imea. As regiões noroeste, norte, nordeste e parte da médio norte e sudeste indicam um acúmulo de chuvas de 300 a 500 milímetros para o período.

Já para as regiões centro sul e oeste (e parte da médio norte e sudeste) são esperados volume mais baixos, com mínima de 100 milímetros e máxima de 150 milímetros, o que garante umidade satisfatória em grande parte dos municípios.

Leia também: Pecuária mais sustentável e sem antibióticos pode ser realidade em Mato Grosso

Tagged: , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: