Com chuvas favoráveis , ritmo de plantio da soja em MT é o maior em dez anos

Os bons volumes de chuvas registrados ao longo das últimas semanas em Mato Grosso, bem como as previsões indicando boas precipitações para o restante do mês, favoreceram o avanço da semeadura da safra de soja 2021/22. O ritmo empregado nas lavouras é, até o momento, o maior já registrado nos últimos dez anos, para este período.

Como destaca o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a semeadura de soja exibiu um progresso significativo – 24,75 pontos percentuais (p.p.) – até a última sexta-feira (15), totalizando o plantio de 45,06% da área prevista para esta temporada. Ainda conforme dados do Imea, mais de 10,84 milhões de hectares deverão ser cultivados com soja, em Mato Grosso.

“Assim, a semeadura da safra 2021/22 aponta como a mais antecipada em relação ao mesmo período dos últimos dez anos e 36,87 p.p. à frente da safra 2020/21, ciclo marcado pela falta de chuvas entre setembro e outubro do ano passado”, completam os analistas.

Com relação às regiões mato-grossenses, destaca-se o oeste (58,58%) e o médio norte (55,31%), que lideram os trabalhos nas lavouras. Desse modo, tendo em vista o clima favorável, para as próximas semanas, é esperado que o cultivo continue a todo vapor no Estado, se aproximando mais da reta final desta etapa dos trabalhos da nova safra.

“Vale ressaltar que é importante que o produtor esteja atento a sua capacidade de colheita para o início do ano, tendo em vista a grande concentração de áreas semeadas no mesmo período e que terão de ser colhidas ao mesmo tempo também”, alerta o Imea.

OFERTA E DEMANDA – O Imea divulgou também a 3ª estimativa para a oferta e demanda de soja em Mato Grosso, trazendo um crescimento na intenção de consumo para as safras 2020/21 e 2021/22.

Para a 2020/21, a oferta se manteve, enquanto a demanda foi elevada em 1,74% ante à safra 2019/20. Dentre os fatores que ampliaram o volume demandado, as exportações apareceram como principal motivo, com um acréscimo de 5,93% no comparativo anual (23,61 milhões de t). Para o consumo, a previsão das indústrias é de que 10,38 milhões de t sejam processadas, decréscimo em relação ao relatório anterior, sob influência da baixa oferta de soja, bem como a valorização dos preços, que pode limitar o esmagamento no fim do ano.

Para a 2021/22, a oferta exibiu alta de 3,85% ante à 2020/21, motivada por uma maior produção. Do lado da demanda, as exportações podem ultrapassar 24 milhões de t, visto que o cenário vem sendo favorável para os embarques, enquanto o consumo em Mato Grosso pode ser incrementado em 4,53% ante a 2020/21.

Leia também: Sojicultores avaliam que plantio de soja até fevereiro reduzirá custos em MT

Tagged: , , , , , ,