FMC lança em Cuiabá documentário que conta a expansão do algodão no Brasil

Às vésperas do plantio da safra de algodão 2021/22, a FMC lançou, em Cuiabá (MT), um projeto que documenta a expansão da cotonicultura no País. O projeto conta com depoimentos de 26 cotonicultores e seus familiares, que respondem por 60% da área de plantio, cerca de 800 mil hectares de algodão, e são responsáveis pelo abastecimento de 25% do mercado interno e 75% do externo com a pluma de algodão. Mato Grosso é o maior produtor nacional da fibra e responde por 80% da oferta brasileira.

A Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) estima que o Brasil deverá ter aumento em torno de 12,7% de área cultivada e produzir cerca de 2,79 milhões de toneladas de plumas, 20,3% mais que a safra anterior.

Dentro desse contexto positivo à cultura, o “Colhendo Histórias” documenta em vídeo a história de cada família que se dedica há várias gerações à cotonicultura brasileira.  Os documentários mostram a relação de cada produtor e sua família com a terra, resgatando o pioneirismo, os desafios para estabelecer a cultura nas diversas geografias do país, os casos e curiosidades que enfrentaram ao longo das décadas, o trabalho conjunto de pais, filhos, netos e bisnetos e o segredo para o sucesso na atividade.

“O Colhendo Histórias é um projeto que nos honra muito ter idealizado, porque mostra o quanto essas famílias e referências na cultura foram fundamentais para a expansão da cotonicultura nacional, principalmente no Cerrado, tendo papel fundamental para que o Brasil pudesse estar hoje entre os cinco maiores produtores mundiais e o segundo maior exportador da fibra natural para o mercado internacional. A FMC, ao longo desses mais de 40 anos de parceria, sempre levou soluções e inovações para o cotonicultor brasileiro superar os desafios da atividade e conquistar produtividade, e agora, o que mais queremos é mostrar a construção deste percurso e valorizar esse legado”, enaltece Marcelo Magurno, Diretor de Negócios Brasil da FMC.

Mato Grosso concentra 48,7% da área cultivada de algodão no país e foi escolhido para ser a sede do lançamento do documentário. No entanto, estão envolvidos no projeto cotonicultores dos estados produtores do Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Bahia e Pernambuco.

Para a produção dos documentários foram necessárias mais de 30 horas de entrevistas e mais de 300 horas de trabalho de captação. Foram utilizados equipamentos de última geração do meio audiovisual e a proposta foi buscar riqueza nos depoimentos para extrair a essência de cada família.

“O time de campo da FMC tem um relacionamento de muita proximidade com o produtor de algodão, o que fez toda a diferença. Mas, o fator determinante foi o reconhecimento que as famílias têm do trabalho que a FMC vem construindo junto com a cotonicultura nacional e, sem dúvida, essa consideração abriu as porteiras para a filmagem, que conseguiu documentar depoimentos tão emocionantes e sensíveis”, explica Fábio Lemos, gerente de cultura Algodão da FMC.

Leia também: Produção de pluma de algodão cresce em MT após registrar menor oferta em dois anos

Um hotsite especial da FMC vai armazenar todo o conteúdo dos documentários do “Colhendo Histórias”, que ficará disponível para que qualquer pessoa possa acessar e assistir os depoimentos dos produtores e suas famílias, a rota percorrida durante a produção do material. Além disso, o material fará parte de um livro-documentário.

“Há 23 anos a FMC idealizou a criação do Clube da Fibra, que reúne os principais produtores de algodão para troca de informações, daí, a partir desses encontros, surgiu a ABRAPA.  Então, acompanhamos de perto esta expansão do algodão no Brasil e, agora, o “Colhendo Histórias” é uma homenagem e reconhecimento que a FMC que fazer às pessoas que estão escrevendo a história do algodão no país, que antes de serem cotonicultores são empreendedores, e contribuem para uma agricultura mais sustentável, com uso de certificação socioambiental, que geram empregos e entregam para o mercado interno e externo uma fibra de qualidade, produzida de maneira responsável”, ressalta Marcelo Magurno, Diretor de Negócios Brasil da FMC.

A Abrapa desde o início abraçou a iniciativa da FMC para realização do “Colhendo Histórias” e auxiliou em diversos momentos, tanto na sugestão de temas quanto no suporte de dados e momentos históricos da cotonicultura. O lançamento em Cuiabá (MT) marca a primeira fase do projeto, onde outras iniciativas serão realizadas com a cadeia, para reforçar a importância dos agricultores no desenvolvimento do algodão no Brasil.

CLIQUE AQUI E VEJA MAIS NOTÍCIAS DE AGRONEGÓCIO E INDÚSTRIA

Tagged: , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: