Mato Grosso pode baratear gás de cozinha e aumentar em 3000% importação da Bolívia

O recente acordo firmado entre o governo de Mato Grosso e a estatal da Bolívia, Yacimentos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), pode aumentar a importação de gás para Mato Grosso em quase 3.000%.

O cálculo feito pelo Mato Grosso Econômico é baseado na declaração do secretário de Estado de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz), Rogério Gallo, em evento realizado na Fecomércio-MT, nesta segunda (30), sobre Onde Investir em Mato Grosso.

“Hoje importamos 100 mil m3 e podemos aumentar para 3 milhões de m3 por dia. Estamos lutando incessantemente para colocar o gás de cozinha na casa das pessoas, a um custo muito reduzido. Além disso, queremos viabilizar gás natural para as indústrias, reduzindo o custo de energia e para os veículos, diminuindo os efeitos da alta dos combustíveis. É uma oportunidade de usarmos de uma vez por todas, o gasoduto”, destaca o secretário.

A informação dada pelo secretário é de muita relevância para a população de Mato Grosso, principalmente pelo gás de cozinha ter o preço mais caro do país.

Vale lembrar que com o contrato entre o governo de Mato Grosso e a Bolívia já será possível fomentar o gás natural veicular (GNV), beneficiando motoristas de aplicativo e condutores de veículos em geral.

Conforme noticiado pelo Mato Grosso Econômico, foi sancionada na semana passada a lei que isenta os motoristas de aplicativo do IPVA e licenciamento, caso utilizem o gás natural veicular (GNV). Veja mais aqui

Em relação ao gás de cozinha (GLP), o deputado estadual Gilberto Cattani, tentou instaurar na Assembleia Legislativa, a CPI do gás de cozinha, mas dois deputados retiraram o nome da lista, inviabilizando o quórum de pelo menos dois terços dos parlamentares. Seriam necessários 16 deputados para assinar o requerimento, mas o deputado Carlos Avallone (PSDB) e Romoaldo Junior (MDB) recuaram. Normalmente a abertura de CPI é feita com a assinatura de 8 deputados, mas pela Casa de Leis já ter três CPIs em andamento, o quórum aumenta de 8 para 16.

Atualmente, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso está com as seguintes CPIs em andamento: Previdência dos Servidores de Mato Grosso, da Renúncia Fiscal e Sonegação e da Energia Elétrica.

Leia também: Gás de cozinha aumenta 22% em Sinop e botijão chega a R$ 123,33 em um ano

Tagged: , , , ,
%d blogueiros gostam disto: