Mato Grosso pode ter ferrovia que interligará Lucas do Rio Verde à Bahia

O Banco Mundial (Bird) vai fazer estudos para viabilizar o corredor ferroviário Leste-Oeste e depois a concessão à iniciativa privada. A parceria foi fechada com o Ministério da Infraestrutura. A avaliação vai abranger a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) e os trechos 2 e 3 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), totalizando 1,9 mil quilômetros.

O trecho ligaria Lucas do Rio Verde (MT) a Ilhéus (BA). A ideia é termos um grande corredor ferroviário Leste-Oeste, integrado ao sistema Norte-Sul”, disse o ministro Tarcísio Gomes de Freitas.

O trecho 1 da FIOL, entre Caetité (BA) e Ilhéus (BA), vai a leilão no próximo dia 8 de abril. Já o trecho 2 da ferrovia, entre Caetité e Barreiras (BA), está em obras pela Valec, com previsão de conclusão em 2022. O trecho 3 da FIOL, que vai ligar Barreiras a Figueirópolis (TO) ou Mara Rosa (GO), ainda precisa de financiamento para sair do papel.

Já a FICO, entre Mara Rosa e Água Boa, já em Mato Grosso, será construída pela Vale como contrapartida da renovação antecipada da Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM). O projeto do trecho 2 da FICO está sendo elaborado, prevendo ligação entre Água Boa e Lucas do Rio Verde.

Os termos de referência para os estudos de viabilidade técnica, econômico-financeira, ambiental e jurídica (EVTEA) estão sendo tratados entre a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), vinculada ao MInfra, e a Corporação Financeira Internacional (IFC), braço do Banco Mundial. 

Segundo divulgado pelo Ministério da Infraestrutura, o “projeto será orientado por diretrizes socioambientais de forma a garantir não apenas uma boa modelagem para a futura concessão, mas também para atrair investidores que priorizem empreendimentos sustentáveis”. 

Leia mais: Preço do frete está 25% mais caro em um ano, segundo estudo da Conab