MT soma desembolsos de mais de R$ 38,5 milhões em crédito rural, nesta safra

Os produtores mato-grossenses demandaram R$ 38,54 milhões em crédito rural nesta safra, a 2021/22. O volume financiado representa 40% do total contabilizado pela região Centro-Oeste, algo em torno de R$ 96,37 milhões.

Conforme dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a demanda na região está desenhada da seguinte forma: 40% do crédito rural tomado por Mato Grosso, 37% pelos produtores goianos e 23% pelos sul-mato-grossenses. Os números fazem parte do Balanço de Desempenho do Crédito Rural, divulgado Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Mapa.

Ainda conforme essa parcial da safra atua, em oito meses foram financiados 1.274 mil contratos de crédito rural, correspondendo a um valor de R$ 188,4 bilhões, o que representa um crescimento de 30%, em todo o País.

Do total desembolsado no crédito rural, 74% dos contratos foram formalizados com os agricultores familiares beneficiários do Pronaf. Demais produtores e médios produtores rurais participaram com 16% e 10%, respectivamente.

Leia também: Contratações do Plano Safra em MT chegam a R$ 13,96 bilhões em cinco meses

As fontes de recursos mais utilizadas pelas instituições financeiras continuam sendo a Poupança Rural Controlada (R$ 46,3 bilhões), os Recursos Obrigatórios (R$ 42,6 bilhões), a Poupança Rural Livre (R$ 28,4 bilhões) e a LCA (R$ 25,1 bilhões) que, juntos, totalizaram 76% do valor liberado até fevereiro de 2022.

As fontes BNDES Equalizável e Fundos Constitucionais de Financiamento (FCO, FNE e FNO) participam com 13% do total de recursos já desembolsados.

No que se refere aos desembolsos por região, o Norte tem se destacado pelo crescimento superior à média: até fevereiro de 2022 houve elevação de 31% no número de contratos e de 45% no montante contratado.

Quanto aos programas de investimento, o Proirriga aumentou 53% no valor contratado comparativamente a igual período da safra passada. Os Programas ABC, Moderfrota, e Inovagro também tiveram um desempenho superior de 31%, 6% e 6%, respectivamente, em relação ao mesmo período da safra passada. Para as demais finalidades (Custeio, Comercialização e Industrialização) restam 23% ao Pronaf, 25% ao Pronamp e 27% aos Demais Produtores.

“As liberações de crédito que foram impactadas pelas suspensões oriundas da insuficiência de dotações orçamentárias, para pagamento das equalizações aos agentes financeiros, apresentam perspectivas positivas para que, brevemente, superada a insuficiência orçamentária, possam transcorrer dentro da normalidade”, informa a SPA.

Leia mais: Sicredi está entre as instituições que mais liberaram recursos ao agronegócio, segundo rankings do BNDES e FEBRABAN

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE AGRONEGÓCIO

Tagged: , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: