Produção de soja no País tem novo corte e redução inclui oferta mato-grossense

Levantamento da consultoria AgRural aponta para um novo corte sobre a estimativa de produção de soja, safra 2021/22, no País. Calculada em 128,5 milhões de toneladas na virada de janeiro para fevereiro, a produção é estimada agora em 122,8 milhões de toneladas.

A queda em relação à produção potencial é de quase 23 milhões de toneladas e foi causada pela estiagem no Sul e no sul de Mato Grosso do Sul. Nesta última revisão, também houve um pequeno corte na produtividade de Mato Grosso e de Minas Gerais devido ao excesso de chuva em fevereiro. A estimativa de produção de 122,8 milhões de toneladas baseia-se em área de 40,6 milhões de hectares e produtividade média de 50,4 sacas por hectare, a mais baixa desde a safra 2015/16.

Leia também: Nota fiscal eletrônica passa a ser obrigatória para Produtor Rural a partir de março

Em Mato Grosso, a colheita da soja avança com relativa rapidez, nos intervalos das chuvas, mas os problemas com excesso de umidade e grãos avariados continuam devido às precipitações constantes. O maior produtor da oleaginosa do Brasil aponta rendimentos menores em relação às projeções anteriores de safra, porém, os resultados do ciclo atual devem superar o realizado em 2020/21.

A retração foi registrada pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que detalha os reportes de campo. “As expectativas para a região médio-norte (59,26 sc/ha) – a maior produtora estadual de soja e milho – e nordeste (59,66 sc/ha) se mostraram inferiores às demais regiões em função dos excessos de chuvas, que prejudicaram pontualmente a qualidade dos grãos até o momento, bem como os relatos de abertura de novas áreas na região nordeste. Apesar disso, são esperados rendimentos maiores no comparativo com a safra 2020/21, em 3,87% na médio-norte e 4,96% na região nordeste. “Se confirmadas as estimativas acima, são esperadas 39,48 milhões de toneladas de soja na safra 2021/22 em Mato Grosso, o maior volume da série histórica do Imea”.

Em relação à colheita, pouco mais de 90% da área estão colhidas até a última sexta-feira, dia 4. O ritmo segue a frente do registrado em igual momento do ano passado, impondo uma vantagem de 23,26 pontos percentuais (p.p). As mais adiantadas são a médio-norte, com 97,65% colhidos, seguida pela oeste, 95,91%.

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE AGRONEGÓCIO

9ª ESTIMATIVA – Com a colheita da soja em pleno avanço em Mato Grosso e a melhor definição das áreas que foram semeadas, a superfície destinada para o cultivo da oleaginosa na safra 2021/22 exibiu novo incremento no comparativo mensal (+0,56%), pautado no reajuste de algumas propriedades nas regiões nordeste (+2,22%), centro-sul (1,28%) e médio-norte (+0,15%). Assim, a área passa a ser estimada em 10,92 milhões de hectares, crescimento de 4,31% em relação à safra anterior, reflexo dos preços recordes, demanda firme e o clima favorável que vem contribuindo para o desenvolvimento da cultura.

Analisando os rendimentos, a média estadual ficou projetada em 60,27 sc/ha, um crescimento de 2,93% com relação ao levantamento do mês anterior e 4,97% superior ao que foi observado na safra 2020/21. Dentre as regiões, a oeste e a norte ganham destaque com as maiores expectativas de produtividade, estimadas em 61,80 sc/ha e 61,82 sc/ha, respectivamente.

Guerra entre Rússia e Ucrânia pode afetar agro de MT com mais elevações sobre custos de produção

Tagged: , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: