O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) alterou as etapas de vacinação contra a febre aftosa para garantir a oferta de vacina e equacionar a demanda por vacinas com o cronograma de produção da indústria. Em 2022, a primeira etapa de vacinação, em maio, será destinada aos animais jovens, de até 24 meses. A segunda etapa, no mês de novembro, vai imunizar os animais de todas as idades. A decisão faz com que a estratégia de imunização no Estado retome ao antigo calendário, utilizado até 20216.

A decisão do Mapa foi tomada em acordo com Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan).

Além de Mato Grosso, o Departamento de Saúde Animal (DSA) definiu pela inversão das estratégias de vacinação nos demais estados que compõe o bloco IV do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFAA): Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

Leia também: MT imuniza 99,83% do rebanho na segunda etapa de vacinação da aftosa

Os produtores que comunicarem ao Indea/MT a vacinação dos bovinos e bubalinos até dois anos de idade terão sua propriedade adimplente. Animais acima de 24 meses, com histórico de vacinação nas etapas anteriores, poderão ser movimentados normalmente e sem a necessidade de vacinação no destino quando se tratar de propriedades localizadas em outros estados que praticam a vacinação e que não compõem o bloco IV.

Para o coordenador de Sanidade Animal do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Felipe Peixoto, Mato Grosso já vacinava desta forma até 2016 e, em 2017, houve a inversão do calendário, mas por solicitação do setor produtivo.

Mato Grosso detém o maior rebanho de bovinos do País. No período de um ano – de 2020 para 2021 – o rebanho teve aumento em 1,62 milhão de cabeças e agora totaliza 32,78 milhões animais.

Em novembro do ano passado, Mato Grosso vacinou 15.251.763 bovinos e bubalinos na segunda etapa de vacinação contra febre aftosa e atingiu 99,83% do rebanho a ser vacinado no Estado. Nessa etapa, foi obrigatória a vacinação de bovinos e bubalinos até dois anos de idade, exceto nos estabelecimentos rurais do Baixo Pantanal Mato-grossense, onde a vacinação atingiu todas as idades, conforme estabelecia o calendário vacinal do período.

Leia também: Líder da pecuária nacional, MT tem nove bois para cada mato-grossense

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE AGRONEGÓCIO

Tagged: , , , , , ,