Perspectiva 2020

3 fatores que podem manter a pecuária de Mato Grosso em alta em 2020

Mato Grosso é responsável pelo maior rebanho bovino do Brasil
Quarta-feira 18 de Dezembro de 2019
MT Econômico/Denis Cardoso
3 fatores que podem manter a pecuária de Mato Grosso em alta em 2020

O setor da pecuária de Mato Grosso teve um ano de 2019 atípico, com alta expressiva na arroba do boi gordo que possibilitou uma recuperação dos negócios dos produtores que vinham sendo prejudicados nos últimos anos.

Para 2020 a previsão também é positiva, embora os preços tenham se estabilizado nos últimos meses deste ano.

Mato Grosso é responsável pelo maior rebanho bovino do Brasil. Especialistas do Instinto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontam pelo menos três fatores para a sustentação dos preços pecuários no ano que vem.

Fatores que podem manter o setor em alta

O primeiro fator é a continuidade do quadro de escassez de oferta de animais prontos para o abate, resultado da maior matança de fêmeas em anos anteriores, quando o ciclo de preços era de baixa, o que desestimulou grandes investimentos na atividade. “Sabe-se o estoque de boi gordo tende a ser menor no próximo ano, devido ao aumento do abate de fêmeas desde 2017, o que também favorece as cotações dos bezerros”, afirma o Imea, em seu relatório divulgado essaa semana.

O segundo fator que deve manter a pecuária mato-grossense positiva, segundo o Imea, é a provável sustentação das exportações de carne bovina do Mato Grosso para a China. “Mesmo que o país asiático já tenha sinalizado estratégias para recompor o rebanho suíno, a peste suína africana ainda é uma realidade no continente asiático”, avalia.

E o terceiro fator é a possível recuperação mais consistente no consumo interno de carne bovina em 2020, estimulada pela perspectiva de melhoria na economia brasileira. “Isso sinaliza que a renda do consumidor poderá estar mais favorável, o que reflete no maior poder de compra da população e a busca maior por itens como a carne bovina, que geralmente é substituída pela suína ou de frango quando os gastos estão apertados”, avalia. Dessa forma, conclui o instituto, “as tendências são de sustentação dos patamares dos preços nos três elos da cadeia em Mato Grosso”. 

Retrospectiva 2019 em Mato Grosso

Com o aquecimento da demanda externa, atrelado à menor oferta de animais disponíveis para abate, os preços do boi e da vaca gorda registraram acréscimos de 9,49% e 8,95%, respectivamente, no período de janeiro a novembro deste ano, ante igual intervalo de 2018, de acordo com dados do Imea. Nessa mesma base de comparação, a cotação do bezerro no MT apresentou valorização de 10,32%. O diferencial de base MT-SP, por sua vez, cresceu em 1,12 ponto percentual no comparativo anual, uma vez que os preços do boi gordo no mercado paulista valorizaram mais do que em Mato Grosso, ficando atualmente em -10,79%.

Abates 

No acumulado de janeiro a novembro de 2019, foram abatidos 5,27 milhões de animais no Mato Grosso, crescimento de 6% sobre a quantidade registrada em igual período de 2018. Deste total, 2,28 milhões foram fêmeas, o que significou aumento de 4% na comparação com igual período de 2018, segundo dados do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea).

No período de janeiro a novembro, as exportações mato-grossenses de carne bovina alcançaram U$S 1,18 bilhão, resultando em embarque total de 380,50 mil toneladas equivalente-carcaça. Destaque para a China e Hong Kong, os principais importadores da carne bovina do Mato Grosso (participação de 33% no total exportado nos 11 meses do ano). Favorecidos pela habilitação de sete plantas frigoríficas para o mercado chinês, os exportadores do Mato Grosso enviaram 126,95 mil toneladas para China/Hong Kong no período de janeiro a novembro, um aumento de 20% sobre o volume de igual período de 2018.

“O aumento das exportações do MT esteve atrelado à peste suína no continente asiático e todo este cenário resultou na mudança de patamar da arroba do boi gordo, sobretudo em novembro, com registros de médias diárias de R$ 195/@”, relata o Imea.

Confira algumas publicações anteriores do MT Econômico que mostram a situação da pecuária nos últimos meses.

Exportação de carne de Mato Grosso perde o fôlego em novembro

Mercado da pecuária aquecido já repercute no preço da carne aos consumidores


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS