fbpx
Aumento da demanda de avaliações judiciais atrai corretores para a profissão de perito avaliador

Se antes era mais comum apenas a procura pelo corretor para realizar transações como compra, venda e locação, hoje isso mudou! O mercado imobiliário oferece muitas oportunidades, como a avaliação de imóveis que é um serviço cada vez mais procurado.

A demanda do mercado expandiu o campo de atuação profissional. Hoje o Estado de Mato Grosso registra 700 corretores de imóveis que ingressaram na profissão de avaliador imobiliário. Esse levantamento é do Cadastro Nacional de Avaliadores Imobiliários (CNAI).

Segundo o vice-presidente  de avaliação imobiliária do Conselho Federal de Corretores de Imóveis, Luiz Barcellos, os corretores de imóveis obtiveram grande conquista com o reconhecimento da habilitação legal do corretor para avaliações, essa conquista é uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), via agravo Nº 708.474, de que a perícia em avaliação de imóveis é de competência do corretor de imóveis.

“Mesmo com o número expressivo de pessoas atuando na profissão, ainda faltam profissionais capacitados e certificados para atuar como avaliador imobiliário e como perito avaliador. Para atuar na área é necessário ser corretor de imóveis e ter cadastro de avaliadores (CNAI), realizado e mantido pelo Conselho Federal. E para atuar como perito avaliador, no âmbito do poder judiciário, é necessário realizar o cadastro no Banco de Peritos Judiciais e Corretores Públicos (BANPAC). O avaliador imobiliário e o perito avaliador são os profissionais aptos a realizarem serviços mais elaborados, como a emissão do Parecer Técnico de Avaliação Imobiliária (PTAM)”, destacou.

Presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso, 19ª Região, Benedito Odário, ressalta que o poder judiciário frequentemente requisita profissionais com CNAI para realizar trabalho como peritos judiciais. “Por essa razão, o CRECI firmou convênio com o Tribunal de Justiça e Tribunal Regional do Trabalho para ampliar a atuação desses profissionais”, disse.

Segundo o presidente, no Estado de MT  foi criado através do convênio, o Banco de Peritos Judiciais e Corretores Públicos (BANPAC), no qual os profissionais precisam se cadastrar.  O BANPAC reúne os dados dos corretores públicos e peritos avaliadores para a seleção e escolha dos profissionais. Hoje são  308 profissionais cadastrados e aptos a atuar em processos do poder judiciário.

“Realizamos um convênio inédito, que hoje é implantado em outros Estados. O convênio traz benefício ao corretor, pois habilita ser escolhido pelos juízes a atuar como perito judicial e corretor público. Os convênios permitem aos corretores fazerem avaliações para locação dos prédios dos cartórios e  a atuarem com alienações nos processos da justiça do trabalho. Foi aberto um ‘leque’ de possibilidades que agregará muito profissionalmente”, concluiu o presidente.

Das 700 pessoas aptas a realizar avaliação de imóveis, apenas 308 realizaram o cadastro no BANPAC, e poderão atuar nos processos do poder judiciário. 

Leia também: CRECI defende veto ao PL que proíbe o despejo de imóveis alugados

Tagged: , , , ,