Cidade Empreendedora e Sustentável: Programa transforma realidade e impulsiona economia local

O Programa Cidade Empreendedora e Sustentável, desenvolvido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), tem transformado a realidade local de municípios de Mato Grosso e do Brasil por meio de ações estratégicas em prol do desenvolvimento econômico e social. Organizado em 10 eixos de atuação, o programa contempla temáticas como desburocratização, fortalecimento de lideranças locais, incentivo à criação de salas do empreendedor, inclusão produtiva, educação empreendedora, entre outras.

Em Mato Grosso, 32 municípios aderiram ao programa, de cidades maiores como Sinop, Sorriso, Barra do Garças e Tangará da Serra, até outras menores a exemplo de Cláudia e Marcelândia. Elas estão espalhadas por quase todas as regiões do Estado, incluindo algumas bem distantes da Capital, caso de Aripuanã (957 km a noroeste de Cuiabá), cujo deslocamento até lá é difícil impondo mais de 200 km de estrada de terra.

Esta diversidade faz com que o trabalho possa fluir de forma a construir realmente entregas e resultados de acordo com as características e realidades de cada um deles.

Encontro Estadual de Agentes de Desenvolvimento – ação do Cidade Empreendedora e Sustentável

Existem municípios que participam desde o início da implantação do Programa em Mato Grosso, como é o caso de Paranatinga, Guarantã do Norte, Paranaíta, Campo Novo do Parecis e Canarana, cujo prefeito Fábio Faria, diz ser uma parceria muito positiva. “Em 2017 aderimos ao programa Cidade Empreendedora e Sustentável e nunca mais paramos. Já estamos entrando no quinto ano e nosso foco agora é a capacitação dos empresários locais dos setores de alimentação e serviço, sobretudo hotelaria, para atender um número crescente de visitantes de outros países que vêm ao município por conta, sobretudo, da produção de gergelim”, explica.

Localizada a 604 km a nordeste de Cuiabá, Canarana é o maior produtor de gergelim do Brasil, com uma produção de 40 mil toneladas na safra 2020, sendo que mais de 90% são exportados para países da Ásia.

Faria destaca ainda a preparação no que concerne a gestão e atendimento dos fornecedores da prefeitura, incluindo produtores rurais que vendem para a merenda escolar. Relaciona também a redução do tempo de abertura de empresas no município de 30 para apenas 1 dia; a implantação da Sala dos Empreendedor, importante sobretudo para os microempreendedores individuais (MEIs), e ainda o JEEP (Jovens Empreendedores Primeiros Passos) nas escolas para incentivar o espírito empreendedor e a orientação para os negócios nas novas gerações.

Superintendente do Sebrae MT, José Guilherme Barbosa Ribeiro no Encontro de Prefeitos e Secretários de Desenvolvimento

INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS

As cidades participantes do Programa recebem entregas estratégicas como o documento Município em Números, levantamento dos dados municipais, organizados de uma forma estruturada, entregue num book para que as prefeituras tenham todas as informações em mãos e possam tomar decisões de forma mais assertiva.

O Mapeamento de Oportunidades, por sua vez, reúne dados levantados de forma primária, secundária, além de informações obtidas na pesquisa de percepção de imagem do município, primeiro trabalho executado. Trata-se de um levantamento feita junto à sociedade civil levantando a percepção sobre o município, o que está bom, o que está ruim, o que precisa ser melhorado. Depois, um consultor alinha isso com outras pesquisas para ter um mapeamento de oportunidades que revela qual o potencial de desenvolvimento do município e o que é realmente pode ser um atrativo. O mapeamento olha para as oportunidades existentes no município e faz parte posteriormente do plano de desenvolvimento municipal.

Estas e outras entregas chamaram a atenção da administração de Ari Lafin, prefeito de Sorriso (397 km de Cuiabá). Segundo o então secretário de Desenvolvimento Econômico na gestão 2017/2020, Cláudio Drusina, hoje adjunto da pasta, o Sebrae apresentou o programa ao município em 2019, mas como já estavam mais para o fim do mandato optaram por aguardar e agora aderiram ao programa. Ele cita a necessidade de obter dados confiáveis sobre o município para ajudar a identificar as oportunidades reais e traçar planos para o desenvolvimento local.

Classificado na categoria B do turismo de eventos e negócios, o município inicia o inventário o mapa do turismo, além de criar grupos para elaborar o termo de referência para as compras governamentais. “Estamos no início dos trabalhos, mas as expectativas são muito boas”, revela Drusina, destacando a existência de um elo de confiança com o Sebrae por conta de outros trabalhos desenvolvidos anteriormente.

Confiança também é o sentimento do prefeito de Nossa Senhora do Livramento, Silmar de Souza Gonçalves e seu secretariado. Ele aponta a parceria antiga com o Sebrae em programas de desenvolvimento das cadeias do leite, da piscicultura, produção de hortifrutigranjeiros e realização da feira É de Livramento. “Tudo que vem o Sebrae eu avalio como bom para nossa cidade, os projetos funcionam e dão resultados muito positivos”.

Localizado a 38 km de Cuiabá, na Baixada Cuiabana, na região pantaneira, o município aderiu ao Cidade Empreendedora e Sustentável por integrar o Programa de apoio à recuperação do bioma Pantanal – Pró-Pantanal, iniciativa formatada pelo Sebrae nos estados de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul com vistas à retomada da economia na região por meio de ações de apoio às micro e pequenas empresas no território.

O secretário de Cultura e Turismo, José Eugênio de Almeida Maciel, que participou com Silmar do Encontro de Prefeitos e Secretários de Desenvolvimento do Programa Cidade Empreendedora e Sustentável, nos dia 4 e 5/10, em Bonito (MS), reunindo participantes daquele Estado e de MT, diz que já começaram a montar um plano de desenvolvimento do empreendedorismo na cidade.

Ele enfatiza a importância das capacitações que englobam desde o prefeito, secretários, assessores e todos os servidores. Cita ações focadas nas compras governamentais e para a merenda escolar, aprimoramento dos processos de licitação, cobrança de tributos. “Cada secretário está preparando uma lista de ações prioritárias para que possamos montar um plano de trabalho visando o desenvolvimento local”, enfatiza, destacando que um dos focos é uma aproximação maior da gestão municipal com o empresariado do município.

Encontro de Prefeitos e Secretários de Desenvolvimento do Programa Cidade Empreendedora e Sustentável – Bonito_MS

Um dos trabalhos é o plano de desenvolvimento do turismo, atividade econômica que já vem sendo implementada com algumas ações como a implantação da Casa da Cultura, com espaço para a memória do pequeno município de 136 anos, artesanato e uma oficina para os artesãos; e do Centro de Comercialização dos produtos É de Livramento. A inauguração dos dois equipamentos está programada para dezembro próximo.

A sustentabilidade é outro foco do Programa e muitos conceitos são trabalhados para que as prefeituras passem a olhar para os temas destinação e tratamento de resíduos, geração de energia fotovoltaica (solar), biodigestor, como uma oportunidade e não um problema.

AMBIENTE DE NEGÓCIOS

Para Sandro Rossi, gerente de Conexões Institucionais do Sebrae em MT, uma das  principais entregas do programa é a melhoria do ambiente de negócios. “Junto com a prefeitura nós procuramos melhorar o ambiente de negócios para o empreendedor do futuro e para aquele empresário que já empreende no município, tanto para micro e pequenas empresas e até mesmo para as grandes. Quando melhoramos o ambiente de negócios torna favorável o desenvolvimento do município”, enfatiza.

Ele destaca as compras públicas como um eixo do desenvolvimento local muito importante a ser trabalhado, porque o município é o maior fomentador da economia local. “Quando conseguimos olhar, junto com a prefeitura, tudo que ela pode comprar no próprio município, ou seja, pegar o recurso do caixa e aplicar no próprio município, faz a diferença. Toda vez que a prefeitura faz uma compra na cidade, ela gera emprego, renda e imposto”.

Sandro Rossi – Gerente de Conexões Institucionais do Sebrae em MT

Para Rossi, o impacto maior do programa Cidade Empreendedora e Sustentável é o fato de ser uma parceria que leva conhecimento sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo no que se refere a políticas públicas voltadas para o desenvolvimento local e sustentável. “Essas informações resultam em medidas e ações que favorecem o surgimento de cidades mais empreendedoras e sustentáveis, cujos gestores olham para as gerações futuras, para a sustentabilidade da vida, do meio ambiente e dos negócios”.

Segundo ele, quando nós temos municípios mais estruturados, que olham para uma gestão mais profissionalizada, para o desenvolvimento e o impacto da economia local, favorecem o ambiente para que o empreendedorismo aconteça, para que as pessoas realmente possam ter uma fonte de renda, que tenham um negócio saudável, empresas operando dentro da legalidade, com todo o apoio da municipalidade, obviamente isso impacta o Estado, que se torna mais empreendedor e mais competitivo. “Mato Grosso já é um Estado economicamente bem posicionado, tanto que a crise não tem afetado tanto, em virtude do agronegócio, logicamente, mas nós  que ver que, nos municípios, 95% das empresas são micro e pequenas e a maioria sobrevive da economia local, daquele dinheiro que gira, que circula no município”, finaliza.

Leia também: Sebrae MT faz mutirão para quitação de débitos dos MEIs e abre fim de semana

Veja abaixo fotos da ação realizada pelo Sebrae MT

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Tagged: , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: