Comércio e Serviços garantiram nível de empregabilidade em alta em MT

Setembro foi o nono mês seguido de geração de novas vagas de trabalho formais (com carteira assinada), em 2021, em Mato Grosso. Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério da Economia, foram criadas 5.155 novos postos no mês passado, volume que acumula recorde de 71.867 novas vagas ao longo deste ano, considerando saldos de janeiro a setembro. Quase 60% dos empregos abertos no Estado ao longo deste ano vieram de demandas nos setores de comércio e de serviços.

Do total criado, os setores de Serviços e Comércio fecharam com 25.471 e 17.661 vagas, respectivamente, que somados representam 60% do total. Construção fechou com 10.455, Indústria 9.407 e Agropecuária 8.873.

Quando analisado apenas o fechamento do mês de setembro, o saldo positivo de 5.155 novos postos de trabalhos formais é resultado da movimentação do mercado de trabalho que contratou 41.343 pessoas e demitiu outros 36.188 trabalhadores.

Mais uma vez na análise mensal do mercado formal de trabalho, em Mato Grosso, Comércio e Serviços se destacam como os maiores empregadores do período. Dos mais de 5 mil novos postos abertos, 1.942 vieram de Serviços e outros 1.718 do Comércio. Agropecuária, Indústrias e Construção fecharam positivas – ou seja, mais empregaram do que demitiram – mas ofertaram poucas vagas: 470, 275 e 750, respectivamente.

Para o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL Cuiabá), Fábio Granja, nos próximos dois meses a representatividade de empregos formais gerados pelos setores de Serviços e Comércio deve ficar ainda maior com a chegada das vendas de fim de ano. “A perspectiva é que possa ser mantida essa linha crescente de geração de empregos nos próximos dois meses, principalmente devido às vendas de fim de ano que começam com a Blackfriday e encerram-se com o Natal. Com base em dados históricos, o Comércio deverá liderar a geração de empregos, já que para atender toda à demanda sempre precisa contratar temporários”, afirmou Granja, lembrando que essa é uma grande oportunidade, já que de 10% a 15% poderão ser efetivados a partir de janeiro.

CUIABÁ – A Capital do Estado vem se destacando na criação de empregos formais no acumulado de 2021. Conforme o Caged, 21,3% dos novos postos foram gerados em Cuiabá, o percentual equivale a 15.279 novos postos de trabalho.

Desse total, Serviços com 8.228, Comércio 3.670, Construção 2.523, Indústria 953 e Agropecuária -95. Comércio e Serviços apresentam uma representatividade ainda maior no preenchimento de novas vagas de trabalho formais, o percentual atinge a 77,9%. Já referente apenas ao fechamento de setembro, ocorreram 8.681 admissões contra 7.355 desligamentos. O saldo ficou positivo em 1.326 novos empregos formais. Do total criado, os setores de Serviços e Comércio juntos somam um saldo de 895 vagas. Serviços encerrou o mês com 514 e Comércio 381. O setor de Construção criou 301, Indústria 104 e Agropecuária 26.

Leia também: Inflação e juros altos reduzem nível de confiança do empresário cuiabano

Tagged: , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: