fbpx
Demanda por profissionais da área de enfermagem cresce em Mato Grosso

A demanda por profissionais da saúde cresceu com a pandemia, assim como o interesse pela formação na área. Para o curso de enfermagem, não foi diferente, uma vez que os profissionais são essenciais, principalmente no cenário delicado que vivemos, com UTIs lotadas. Segundo pesquisa feita pelo site de empregos Catho, Mato Grosso tem hoje 118 vagas disponíveis na área. Os dados de empregabilidade do grupo Kroton, detentora da Unic, demonstram ainda que, em 2020, 70% dos alunos que se formaram no curso, ingressaram no mercado de trabalho em até 180 dias após a graduação.

A contabilização da Kroton aponta que houve um crescimento de matrículas em 104% para o curso de enfermagem entre o primeiro semestre de 2021, em relação ao mesmo período de 2020. A coordenadora do curso de uma das marcas do grupo, a Universidade de Cuiabá de Sinop (Unic), Tânia Ramos Silva, diz que reconhece a movimentação entre os alunos. “Com a pandemia, podemos perceber o aumento na busca pela profissão, assim como a quantidade de vagas de trabalho disponíveis. Os alunos estão tendo oportunidades em mais de um estágio por vez”, diz.

Tânia considera que o interesse na graduação se dá pelas mudanças nas tendências no setor. Segundo ela, os alunos reconhecem o mercado aquecido e o leque de oportunidades que surge na área. Ressalta que neste novo cenário, entram em sala de aula os assuntos sobre liderança, gestão e empreendedorismo, além da inclusão de disciplinas que se baseiam no atendimento digital, abordando a telemedicina e consultório online. “O modelo educacional já coloca o aluno como protagonista, as habilidades são desenvolvidas além do modelo tecnológico e isso facilita a inserção do profissional em um ambiente de mercado como o que vivemos hoje”, explica.

As inovações acompanham as mudanças mercadológicas, que apontam novos desdobramentos nos programas de enfermagem. “Desde o início da pandemia vimos um aumento nas opções de empregabilidade, ou seja, há uma demanda por profissionais que exerçam os cuidados de pós-pandemia, por exemplo. É perceptível como o conteúdo adquirido em sala de aula é aplicado no empreendedorismo dos estudantes de se aplicam a cuidados de reabilitação, home care, enfermagem para UTI e outros ramos”, diz.

Remuneração

De acordo com a coordenadora, o profissional que acabou de se formar pode iniciar a carreira com um salário em torno de R$ 3 mil reais (média do piso salarial de 2021). Mas explica que a remuneração depende da área de atuação de cada profissional e pode chegar a R﹩12.000,00.

LEIA MAIS: PEDIDOS DE PORTABILIDADE DE PLANOS DE SAÚDE AUMENTAM 50% ESTE ANO

Tagged: , , , , , ,