Estudo da Fecomércio/MT sobre emprego coloca em xeque informações do Novo Caged

Levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio em Mato Grosso (IPF/MT) expõe um equívoco nos dados do Novo Caged, do Ministério da Economia, com relação ao estoque de postos de trabalho no Estado. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, até agosto de 2021, existiam apenas 63.975 vagas preenchidas no grupamento de “Administração Pública, defesa, Seguridade Social, Educação, Saúde Humana e Serviços Sociais”, enquanto a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2019, traz um estoque de 158.918 somente de servidores estatutários.

No mês de setembro, a Fecomércio/MT relatou, em ofício, a inconsistência dos dados ao Ministério da Economia, em resposta, o chefe de Gabinete do ministro de Estado de Trabalho e Previdência, Leandro Barbosa de Lima, destacou que “o Novo Caged, assim como o Caged, não contemplam todas as categorias de trabalhadores, portanto os números apresentados não serão similares aos captados por outros sistemas”.

Diante dessas informações, o diretor de Pesquisas do IPF/MT, Maurício Munhoz, relata que o Novo Caged, por si só, não pode ser utilizado como base real para demonstrar o perfil atualizado do emprego, por provocar uma distorção da realidade mato-grossense. “A Rais está mais bem construída, mas infelizmente, não temos como obter dados atualizados dela”, ao se referir ao ano-base disponibilizado pelo órgão, que é de 2019.

O documento que comprova esta distorção e que tramita no Ministério do Trabalho e Previdência (MTE) traz outras inconsistências. Pelo fato de nem toda empresa declarar o eSocial, o que limita os resultados executivos do Novo Caged, e mesmo buscando outros sistemas, como Caged e Empregador Web, ainda assim não representa a totalidade de vínculos empregatícios ativos no Estado.

Apesar de a base de dados da Rais contemplar uma abrangência maior que as do Novo Caged, o presidente da Fecomércio/MT, José Wenceslau de Souza Júnior, destaca a falta de dados atualizados. “A Federação se utiliza dessas informações para fazer análises e municiar a imprensa que, consequentemente, informa à população, entretanto, os dados de 2019 não refletem a realidade atual das vagas de trabalho”.

Ainda segundo a Rais, no ano-base de 2019, foram registrados um total de 868.521 vínculos ativos (estoque) no Estado de Mato Grosso. Para o Grupamento Administração Pública, defesa, Seguridade Social, Educação, Saúde Humana e Serviços Sociais foram 218.003 postos de trabalho, sendo que 158.918 eram do tipo estatutário e que não constam no Novo Caged.

Leia também: IPF/MT acredita na redução do desemprego e na oferta de 3 milhões de novos postos até o final do ano no País

Tagged: , , , , ,