Inflação da construção em MT superou médias nacional e regional em 2021

A inflação sobre o setor construção civil, em Mato Grosso, acumulou alta de 19,75% em 2021, encerrando o ano acima das médias registradas no País, 18,65%, e no Centro-Oeste, 19,23%.  Com a majoração, o custo do metro quadrado (m²) construído no Estado fechou o período a R$ 1.468,89.

Conforme dados do Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), Mato Grosso teve a segunda maior variação do Centro-Oeste – atrás da registrada em Mato Grosso do Sul: 24,47% – e o menor valor regional para o m². Do valor médio de construção, R$ 908,81 pertencem à parcela ‘materiais de construção’ e R$ 560,08 parcela ‘mão-de-obra’. Por meio do Sinapi, percebe-se que os insumos tiveram variação positiva ao longo do ano, enquanto à mão-de-obra se manteve estável.

No Centro-Oeste, o Distrito Federal segue exibindo o maior valor para o custo de construção: R$ 1.583,41. Na sequencia estão Mato Grosso do Sul, R$ 1.490,96, Goiás, R$ 1.485,01 e Mato Grosso, R$ 1.468.89.

O custo nacional da construção por metro quadrado passou em dezembro para R$ 1.514,52, sendo R$ 910,06 relativos aos materiais e R$ 604,46 à mão de obra. Em novembro, o custo havia sido de R$ 1.506,76.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,76%, registrando queda de 0,90 ponto percentual em relação ao mês anterior (1,66%). Considerando o índice de dezembro de 2020 (3,39%), observa-se queda ainda mais relevante, 2,63 pontos percentuais.

Já a parcela da mão de obra, com taxa de 0,15%, e sem acordos coletivos registrados, manteve o patamar tanto se comparado ao índice observado no mês anterior (0,18%), quanto a dezembro de 2020 (0,18%).

O resultado acumulado no ano de 2021 registrou variação de 28,12% nos materiais, enquanto a parcela do custo referente aos gastos com mão de obra atingiu 6,78%. Em 2020, a parcela dos materiais fechou em 17,28% e a mão de obra, em 2,33%.

Leia também: CRECI fecha convênio com plataforma de rastreabilidade de imóveis

REGIONAL – Com alta na parcela dos materiais em todos os estados, a região Norte ficou com a maior variação regional em dezembro, 0,81%. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: Nordeste (0,66%), Sudeste (0,32%), Sul (0,53%) e Centro-Oeste (0,61%).

O Sul teve o maior resultado no acumulado para o ano de 2021 (19,43%), seguido pelo Centro-Oeste (19,23%), Sudeste (19,11%), Nordeste (18,07%) e Norte (16,80%).

Os custos regionais da construção em dezembro, por metro quadrado, foram: R$ 1.506,36 (Norte); R$ 1.418,32 (Nordeste); R$ 1.572,22 (Sudeste); R$ 1.594,85 (Sul) e R$ 1.503,31 (Centro-Oeste).

Com alta na parcela dos materiais, Tocantins ficou com a maior taxa para o último mês do ano, 1,61%. No acumulado do ano, Mato Grosso do Sul foi o estado com a maior taxa, 24,47%, registrando, também, a maior taxa no acumulado da parcela dos materiais, 34,81%.

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

Tagged: , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: