Março foi mais um mês de endividamento entre os cuiabanos

O mês de março registrou o segundo aumento consecutivo no número de famílias endividadas em Cuiabá. De acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 72,6% delas disseram estar com dívidas de cartões de crédito, cheques, boletos e empréstimos. Segundo análise do Instituto de Pesquisa da Fecomércio (IPF/MT), os dados atuais estão menores que a média nacional, que bateu recordo no mês, atingindo 77,5% das famílias.

O principal tipo de dívida das famílias continua sendo o cartão de crédito (77,5%), seguido dos boletos (33,2%). Outro dado positivo da pesquisa é o consecutivo recuo da inadimplência cuiabana, tanto para as famílias que disseram estar com contas em atraso (31,3%) quanto para as que afirmaram não ter condições de pagá-las (6,8%). Ambas atingiram os menores índices nos últimos 13 meses.

A pesquisa revela, ainda, que os que ganham mais de 10 salários mínimos são os mais endividados (79,3%) e os que ganham menos de 10 s.m. estão encontrando mais dificuldades para pagar as contas (7,9%).

Leia também: Intenção de consumo das famílias de Cuiabá cresce pelo terceiro mês consecutivo

De acordo com o superintendente da Fecomércio/MT, Igor Cunha, o endividamento segue de forma mais controlado que a média nacional. “Apesar de ser o segundo aumento consecutivo do endividamento, estamos conseguindo controlar mais os gastos, diferente da média nacional que chegou a atingir no mês de março 77,5%. Isso reforça que não somente a Capital, mas o Estado se encontra em um cenário mais positivo”.

No entanto, o IPF/MT observa que o crescimento contínuo do endividamento é preocupante, pois reflete diretamente na economia do Estado. Para efeito de comparação, os dados atuais se aproximaram do percentual registrado em março do ano passado, quando 72,7% das famílias alegaram estar endividados.

Além disso, o percentual da renda comprometida com a dívida também aumentou no período, passando de 21,1% no ano passado para os atuais 24,1% agora. Já o tempo comprometido com dívida também apresentou aumento, de 6,2 meses para 6,3 meses.

Leia mais: Aumento do consumo faz crescer endividamento em Cuiabá

CLIQUE AQUI E VEJA PESQUISAS E DADOS SOBRE A ECONOMIA DE MATO GROSSO

Tagged: , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: