Preço da gasolina e do etanol cede e deve fechar o ano com recuo de mais de R$ 0,40

Os preços do litro da gasolina comum e do etanol hidratado estão cedendo em Cuiabá e Várzea Grande. Ao longo do mês de dezembro a gasolina comum é a matriz que apresenta as maiores baixas, conforme levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O etanol, cujo litro chegou a ser comercializado por até R$ 4,79 nos postos das duas cidades, nessa semana pôde ser encontrado por R$ 4,37/4,39, diferença de até R$ 0,42 entre um valor e outro. O litro da gasolina, que chegou a registrar R$ 6,799, agora é vendido por até R$ 6,359, economia de até R$ 0,44 por litro. Mesmo com a redução, há revendas que seguem com valores inalterados, fixando a gasolina, por exemplo, a R$ 6,599 o litro.

Conforme a ANP, o etanol abriu o mês com preço médio de R$ 5,190 no Estado e a gasolina a R$ 6,695. Entre os dias 28 de novembro a 24 de dezembro – período em que a Agência fechou quatro semanas completas de monitoramento no Estado – ambas as matrizes tiveram comportamento semelhante, com preços caindo a cada atualização.

Leia também: Sindalcool afirma que etanol volta a ser competitivo frente à gasolina, em MT

O movimento registrado pelo MT Econômico, em Cuiabá e Várzea Grande, e confirmado ao longo do Estado por meio a ANP, também foi observado pelo Índice de Preços Ticket Log (IPTL). “As primeiras semanas de dezembro apresentaram recuo no preço da gasolina e do etanol, desde o mês de abril deste ano, último período de baixa, em que os combustíveis custavam R$ 5,699 e R$ 4,565 respectivamente. Com valor médio de R$ 6,915 a gasolina ficou 0,16% mais barata para os motoristas brasileiros, se comparado ao fechamento de novembro, quando o valor era de R$ 6,926. Já o etanol, que está custando R$ 5,843, ficou 0,17% mais barato em relação ao mês anterior, que custava R$ 5,853. Na contramão desses resultados, a região Norte foi a única que não apresentou baixa em nenhum combustível, mas sim, altas de 0,25% no preço da gasolina e de 1,18% no valor do etanol”, aponta o levantamento.

Apesar de permanecer no topo do ranking da gasolina mais cara do Brasil (R$ 7,015), o Centro-Oeste teve o maior percentual de baixa entre as Regiões, de 0,64% em relação a novembro, quando o valor cobrado era de R$ 7,060. Já o Sul, continuou comercializando o preço médio mais barato para a gasolina, de R$ 6,757. E, diferente do mês anterior, em que a região Sul teve o maior percentual de aumento nesse aumento nesse combustível, neste início de mês registrou a segunda maior baixa do País, de 0,40%, com o litro passando de R$ 6,784 para R$ 6,757.

Bem como no fechamento de novembro, o maior preço médio para o etanol foi encontrado nos postos da região Sul, a R$ 6,245, ante R$ 6,280 de novembro, com queda de 0,56%, e terceira maior baixa entre as Regiões. O Nordeste comercializou o litro mais barato para o etanol, a R$ 5,638, e registrou baixa de 0,25% se comparado ao mês anterior, que custou R$ 5,652. Entre todas as regiões brasileiras, o Sudeste se destacou com a maior redução no valor do etanol, de 2,82%, passando de R$ 5,885 para R$ 5,719. O Centro-Oeste também teve uma baixa considerável de 1,24%, passando de R$ 5,736 para R$ 5,665.

“Considerando as altas consecutivas dos últimos meses, que chegaram a mais de 7%, tanto para a gasolina quanto para o etanol, temos um período de respiro no ritmo de alta, com  um momento importante de pequena baixa nas médias de preços e que deve influenciar diretamente no bolso dos brasileiros, com exceção dos nortistas. Vale ressaltar que, exceto para o Estado de Goiás, na relação 70/30 a gasolina continua sendo a opção mais vantajosa para os motoristas abastecerem, de acordo com o levantamento da Ticket Log”, explica Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

CLIQUE AQUI E VEJA MAIS NOTÍCIAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

Tagged: , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: