fbpx
Sindipetróleo diz que alta do diesel vai levar à variações generalizadas de preços

A Petrobras anunciou um novo reajuste sobre o preço do litro do óleo diesel, na última terça-feira. A variação final ainda depende do impacto desse novo preço nas bombas e seus efeitos no mercado. É certo que a majoração vai impactar em outras altas de preços, desde o frete, outros combustíveis, às gondolas dos supermercados.

Desde o recente reajuste, o valor médio nas refinarias de óleo diesel passou de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, ou seja, alta de R$ 0,25 por litro das refinarias para as distribuidoras. O repasse ao consumidor e a real variação sobre o preço final, como destaca o Sindipetróleo (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis de Mato Grosso), “depende de uma série de questões, já que o posto revendedor é o terceiro agente da cadeia de combustíveis”.

Conforme diretor-executivo do Sindicato – entidade que representa as revendas – Nelson Soares, “é preciso considerar a formatação de preços das distribuidoras, impostos e a mistura de 12% de biodiesel a 88% de diesel” e não somente a simples correção feira pela Petrobras às refinarias.

Segundo nota da estatal Petrobras, o reajuste reflete “parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio”.

O Sindipetróleo avalia que o aumento, nesse caso em função do preço do petróleo no mercado internacional, vai refletir no diesel e em outros combustíveis, pois aumenta o frete e atinge os preços nas gôndolas do supermercado e tudo mais que é transportado via rodovias. “O Sindicato entende que para o posto, num momento de grande desvalorização da renda familiar, reajuste nesse patamar pode significar menor volume de vendas, pois o consumidor tende a reduzir seus gastos”.

INFLUÊNCIA DO ICMS – Nelson Soares destaca também que o aumento na Petrobras será somado à alta no preço de pauta dos combustíveis. Uma nova base de cálculo passará a vigorar a partir de 1º de outubro e o impacto previsto é de R$ 0,0441 em cada litro. “Lembrando que no caso do diesel comum (S500), a alíquota de 17% é calculada sobre o preço de pauta de R$ 5,0607. A pauta anterior é de R$ 4,8014. A pauta da gasolina, cuja alíquota é de 25%, também sofreu reajuste e o impacto será de R$ 0,0913. Já no etanol, cuja alíquota é de 12,5%, o impacto será de 0,0473”.

Leia também: Redução de mistura de biodiesel configura retrocesso ao RenovaBio, segundo Aprobio

Tagged: , , , , ,