Taxas do cartão de crédito: como economizar e manter a saúde financeira em 2022

Considerados os mais altos praticados desde 2017, os juros do cartão de crédito subiram 4,1 pontos percentuais entre setembro e outubro de 2021 e chegaram a 343,6% ao ano, segundo dados do Banco Central. O cenário comprova que muitos consumidores ainda desconhecem as taxas praticadas. De acordo com levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, 84% dos entrevistados não têm conhecimento dos juros a que estão sujeitos. Os dados se referem apenas aos últimos 12 meses.

Neste contexto, é fundamental ficar ainda mais atento e ter maior controle dos seus gastos. Afinal, a situação não está fácil e por vezes é necessário uma ajuda para equilibrar as contas. Diante do panorama atual e em meio a uma grande dúvida sobre o avanço da economia, é importante saber utilizar o cartão de crédito com moderação, e assim evitar cair no rotativo e nos seus elevados juros, “O cartão não pode ser encarado como uma renda extra, muito pelo contrário, deve ser usado em compras que o consumidor saiba que pode pagar em um curto período de tempo, funcionando desta forma como uma espécie de fôlego para algumas compras”, explica Andrea Avedissian, brand manager da empresa Zippi, que é uma fintech e que atua em todo o Brasil.

Leia também: Endividamento: veja as dicas da Proteste para evitar apertos

Em diversas áreas da economia, esse tipo de modalidade de crédito ajuda a passar o período das chamadas “vacas magras”. Com 28,3% da população ativa nessa condição – segundo dados do IBGE de setembro do ano passado, o setor dos autônomos é um dos que se apoia nessa opção para conseguir manter suas atividades. Uma boleira, por exemplo, pode utilizar para comprar os ingredientes, preparar e atender à sua encomenda, recebendo o pagamento pelo seu trabalho e, assim, acertando a fatura do cartão. “O que pode auxiliar ainda mais os profissionais autônomos a fazerem o bom uso do cartão de crédito, é ter uma opção com fatura semanal e que possui um prazo de pagamento de fatura e juros que acompanha o fluxo de recebimentos no trabalho” comenta Andrea.

Um ponto importante a se ter atenção é verificar se a operadora do cartão cobra a anuidade, ou se ela não cobra, mas condiciona o cliente a gastar um valor mínimo mensal, pois atualmente existem muitas opções no mercado que não realizam essa cobrança e que acabam sendo mais vantajosas, pois assim você estará economizando com menos uma taxa.

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

Tagged: , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: