fbpx
Trabalhadores da construção civil recebem reajuste salarial de 8%

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e do Mobiliário da Região Norte de Mato Grosso (Siticom) garantiu para os trabalhadores da construção civil, um reajuste salarial de 8%, retroativo a maio, valendo até 30 de abril de 2023. A novidade beneficia trabalhadores de Sinop, União do Sul, Cláudia, Itaúba e Santa Carmem.

O presidente do Siticom, Vilmar Mendes, avaliou que o reajuste pode não ser satisfatório, já que se esperava por um aumento de 10%, ainda que esteja dentro do esperado. Levando em consideração o aumento dos preços, o salário precisa acompanhar a demanda do mercado.

“Está tudo caro, feijão, arroz, óleo e o salário não acompanha. O reajuste não é satisfatório, mas se for levar em conta, está dentro do patamar, é tudo que o trabalhador precisa para dar uma aliviada.  A construção civil está em alta, é só observar as lojas. Falta tijolo, cerâmica leva 30 dias para entregar e o salário do trabalhador não está perto”, explica.

O mercado de trabalho continua aquecido. Em Sinop, por exemplo, houve aumento no número de alvarás de construção. Só no mês passado, foram expedidos 250 alvarás, comparado aos 162 emitidos no mesmo período do ano passado.

Segundo os números, o aumento é de 54%, entre residenciais, multifamiliar e comerciais. Os dados ainda representam o maior da média histórica dos últimos 20 anos.

Com relação as áreas totais autorizadas para construção, o relatório mostra que em junho, houve um aumento expressivo em metros quadrados autorizados. Foram mais de 72.6 mil m² de área, contrapondo mais de 45,4 mil m² do mês de maio.

Conforme o reajuste, trabalhadores no setor de almoxarife passam a receber R$ 1,766 por mês e R$ 8,03 por hora; Apontadores recebem R$1,423 e R$ 6,47 por hora trabalhada; Já eletricistas, tiveram aumento para R$ 1,826 e R$ 8,30; Encanadores recebem o mesmo piso dos eletricistas; Encarregados, por sua vez, R$ 2,326 e R$ 10,74 a hora.

Para meia colher, armador, carpinteiro, pedreiro, pintor e gesseiro de obra, ficou acordado o valor de R$ 1,766 por mês e R$ 8,30 por hora. Servente, ajudante e vigia passam receber R$ 1,315.

Leia também: Confiança do empresário do Comércio de Cuiabá aumenta 68,5% em um ano

Tagged: , , , , ,