fbpx
Turismo de Mato Grosso busca reestruturação e fortalecimento após impactos da pandemia

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) lançou em junho deste ano o projeto ‘Vai Turismo – Rumo ao Futuro’, que visa recomendar políticas públicas de fortalecimento do setor junto aos poderes públicos. Em Mato Grosso, o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio/MT (Cetur/MT) tem participado de reuniões do projeto, por videoconferência, como a que foi realizada na última quinta-feira e que contou com a participação da presidente do Sindieventos/MT, Alcimar Moretti, e do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do estado (SHRBS/MT), Luis Carlos Nigro, além de entidades do trade turístico do Estado.

Os encontros visam conectar o poder público com a iniciativa privada na oferta de políticas que estimulem o desenvolvimento sustentável do turismo nacional, atendendo necessidades e peculiaridades das diversas regiões do país. Em Mato Grosso, os encontros ocorrem até o mês de outubro. Após os trabalhos, que acontecem em todos os estados da Federação, serão apresentadas propostas de políticas públicas para os candidatos do Poder Executivo nas eleições estaduais e federal de 2022.

O setor considera que esse é o momento da reestruturação. O forte impacto que a pandemia da Covid-19 causou na economia parece perder força no setor turístico no país. Presente na Pesquisa Mensal de Serviços (PMS/IBGE), as atividades turísticas apresentaram a terceira taxa positiva mensal em julho, acumulando ganho de 42,2%. No entanto, para recuperar o que foi perdido durante o auge da pandemia, é preciso crescer ainda 32,7%.

Mato Grosso não tem uma pesquisa específica para aferir o ritmo do turismo local, mas o saldo da PMS mostra que a recuperação do setor é uma realidade. Mesmo depois de contabilizar dois meses seguidos de retração no volume de serviços, Mato Grosso chegou ao mês de julho acumulando alta de 13,3% no setor, quando comparado ao mesmo momento do ano passado, ou seja, de janeiro a julho de 2020. O saldo estadual ficou acima da média nacional do período, em 10,7%.

A reação do setor foi registrada tanto na comparação mensal quanto na anual. Na passagem de junho para julho, o crescimento foi de 1,8%. Já em relação ao mesmo mês do ano passado, a expansão é de 11,4%.

Com relação à receita nominal de serviços, o setor acumula alta de 14,5% de janeiro a julho, no Estado. Mais uma vez, acima da média nacional, em 12,4% no mesmo período de comparação.

Com a flexibilização das medidas restritivas, as atividades hoteleiras, de transporte aéreo, restaurantes, rodoviário coletivo de passageiros, locação de automóveis e serviços de bufê apresentaram avanços consecutivos na pesquisa. Esses setores foram bem afetados durante a pandemia. Apesar da retomada, o setor de bares e restaurantes por exemplo, ainda segue preocupado em relação ao endividamento e inflação, conforme noticiado pelo Mato Grosso Econômico.

Já com relação à receita, os destaques de ganhos se dão nas áreas de transporte aéreo, hotéis, restaurantes e locação de automóveis. A presidente do Cetur/MT, Alcimar Moretti, explica que a recuperação era esperada na medida em que os índices da Covid-19 diminuíssem. “Os pontos turísticos de Mato Grosso estão sendo reativados, o que significa que há muito potencial para que os indicadores voltem a crescer, em especial para o turismo de evento e negócios, o que está previsto para ocorrer em 2022 com a reabertura total das atividades”, enfatizou.

Leia também: Turismo de Cuiabá tem iniciativas de qualificação e aplicativo com guias gastronômicos

Tagged: , , , ,