Varejo

Após resultado abaixo do esperado em 2019, varejo projeta crescimento em 2020

O setor do comércio deverá superar plenamente a crise somente no início de 2021 na avaliação do economista da CNC
Quinta-feira 13 de Fevereiro de 2020
MT Econômico
Após resultado abaixo do esperado em 2019, varejo projeta crescimento em 2020

As vendas do comércio varejista de 2019 ainda estão 3,7% abaixo do pico alcançado em outubro de 2014, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio de dezembro de 2019, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O varejo contrariou as expectativas no ano passado com queda de 0,1% em dezembro, comparando com novembro. O natal era tido como uma data que pretendia fazer o setor fechar bons resultados em 2019, mas não ocorreu. O mercado projetava alta de 0,2%, mas houve queda de 0,1%, conforme dados apurados pelo MT Econômico referente à pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada essa semana.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) estimou nesta quarta-feira (12) crescimento de 5,3% das vendas no varejo ampliado, em 2020. No varejo restrito, que exclui os ramos automotivo e de materiais construção, o indicativo é de alta de 3,5%.

As projeções da CNC tiveram como base os dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) de dezembro, divulgada ontem (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a pesquisa, o comércio varejista brasileiro fechou 2019 com um crescimento de 1,8% no volume de vendas.

O ano passado foi o terceiro consecutivo em que o varejo teve alta. No entanto, apresentou resultado inferior aos de 2018 (alta de 2,3%) e 2017 (2,1%).

Para o economista responsável pela análise, Fabio Bentes, as vendas neste ano deverão manter a atual tendência de alta com a perspectiva de crescimento da economia e dos indicadores que medem o consumo das famílias. “Fatores como a permanência da inflação baixa e a expectativa de que a taxa básica de juros seja mantida no piso histórico fazem com que esperemos um maior ritmo de atividade econômica em 2020”, afirmou, em nota.

O setor do comércio deverá superar plenamente a crise somente no início de 2021, na avaliação do economista da CNC.

Cuiabá

Os empresários começaram o ano mais confiantes segundo pesquisa de confiança empresarial divulgada em janeiro pela Fecomércio-MT. A pesquisa que monitora o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), em Cuiabá, revelou um aumento de 0,6% na comparação com o mês anterior, atingindo, assim, 131 pontos. No entanto, o índice atual é 0,5% menor se comparado com janeiro de 2019.

A pesquisa é realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e tem variação de zero a 200 pontos. O índice 100 demarca a fronteira entre a avaliação de insatisfação e de satisfação dos empresários do comércio: abaixo de 100 pontos diz respeito à situação de pessimismo enquanto acima de 100 encontra-se a situação de otimismo.

No entanto, vale lembrar que essa pesquisa reflete a virada de ano (2019 para 2020), pois foi divulgada em janeiro. Há poucos dias atrás, comerciantes entraram em conflito com o governo do estado por conta da revisão do ICMS, referente a Lei Complementar nº 631/2019 que alterou algumas alíquotas de setores do comércio no estado. Esse ano é previsto a reforma tributária, portanto, esses fatos recentes e o que está por vir devem alterar a projeção das próximas pesquisas de confiança empresarial na capital de Mato Grosso, na avaliação do MT Econômico.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS