Nobres sem crise

Mineração e calcário ocupam 1º lugar da economia em Nobres

Em segundo lugar no ranking econômico está a agricultura, terceiro o comércio e em quarto o turismo
Quinta-feira 31 de Março de 2016
Cristiane Sagioratto
Mineração e calcário ocupam 1º lugar da economia em Nobres

Quem pensa que é o setor do turismo que fomenta a economia do município de Nobres (distante a 146 km ao médio Norte) está completamente enganado.

De acordo com o prefeito do município Sebastião Gilmar Luis da Silva, os setores que mais fomentam a economia em Nobres é o da mineração e do calcário.

Mato Grosso conta com 15 fábricas de calcário em atividade, dessas, nove são de Nobres o que configura o estado como o maior produtor de calcário do país.

Em entrevista ao site Mato Grosso Econômico na manhã desta quinta-feira (31.03), os setores da mineração e do calcário ocupam o 1º lugar no ranking econômico do município. Em 2ª posição a agricultura, 3ª ocupação no ranking é o comércio e em 4º lugar é o setor do turismo.

Novidade para o turismo

Em julho de 2014, o Executivo municipal implantou o voucher único - documento fiscal utilizado para as pessoas terem acesso aos atrativos turísticos do município.   Nele, são marcadas as atrações que serão visitadas.

A vantagem do bilhete é que o município vai passar a arrecadar também. De um total de 4%, 3% vão para o Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) e o restante para o fundo do turismo municipal, conforme explicou o prefeito Sebastião Gilmar Luiz da Silva.

“Nobres é o único município de Mato Grosso que vai operar com o sistema voucher eletrônico, uma espécie de bilhete e roteiro para a visitação dos pontos turísticos nobrenses”, informou o prefeito.

Agora, com a novidade, o ticket eletrônico unificado permitirá também quantificar o número de visitantes que passam pela cidade, bem como de onde são, faixa etária do público, entre outras informações. A estimativa é que a cidade receba anualmente 45 mil pessoas, sendo que a grande maioria é do próprio Estado. 

A previsão de implantação do Voucher eletrônico é para o segundo semestre deste ano. “Apesar do setor do turismo ocupar a 4ª posição da economia municipal, a probabilidade de Nobres ocupar o primeiro lugar nos próximos anos é muito grande”, destacou o prefeito.

Crise não afetou geração de empregos

Por conta da crise econômica que o país vem enfrentando, porém, Nobres não foi afetada pelo desemprego. O prefeito informou a reportagem do site Mato Grosso Econômico que o setor que mais emprega no município é o da Mineração. “O setor da Mineração é uma atividade sazonal. Entre novembro e março, o setor apresentou grande demanda de emprego, após março teve redução de 30% da mão de obra”, disse Gilmar.  Já os setores de mineração e na produção de cimento não houve grande impacto na geração de emprego, mesmo mediante a crise econômica.

Conta Pública

O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) é considerado uma das principais fontes de receita para as administrações municipais e a queda no repasse gera um grande impacto nas finanças das prefeituras. Os municípios perderam a autonomia financeira e por isso os gestores têm grande dificuldade de investir no atendimento das necessidades da população. Por isso há constantes mobilizações para garantir mais fontes de recursos para gerir melhor os municípios.

O FPM é uma transferência constitucional composta por 23,5% da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A distribuição dos recursos aos municípios é feita de acordo com o número de habitantes.

O prefeito Gilmar informou que houve uma redução de repasse de 15% a 20% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) entre 2014 e 2015.  “Quando chega no dia 10, a primeira parcela do FPM do mês fica praticamente zerada e fica retida nas despesas do INSS compactuada com o Governo Federal. As dificuldades são muito grandes”, finaliza o prefeito. 


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS