Senador mato-grossense convoca distribuidoras para debater redução do valor da conta de luz

A Comissão de Infraestrutura do Senado já convocou as distribuidoras de energia para debater a proposta do senador Fábio Garcia (UNIÃO/MT) de utilizar um crédito de R$ 60 bilhões para reduzir o valor das contas de energia elétrica em Mato Grosso.

Do montante total de R$ 60 bilhões, R$ 1,2 bilhão seriam usados para a redução da energia no estado de Mato Grosso. Fábio Garcia acredita que se a Aneel aprovar o uso desse dinheiro, o aumento médio de 22,5% em vigor desde o último dia 16 de abril, poderia cair para 5% para os mato-grossenses.

A audiência pública requerida pelo senador mato-grossense acontecerá na próxima semana, dia 17, na presença de integrantes do Ministério de Minas e Energia, da Aneel e de associações das distribuidoras e dos consumidores de energia elétrica.

Leia também: Governo mantém isenção do ICMS para consumo de energia elétrica até 100 kWh

O senador explica que esse crédito se refere à incidência indevida do PIS/Cofins na base de cálculo do ICMS na conta de luz paga pelos consumidores. Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a bi-tributação e o crédito existente hoje nas distribuidoras.

“Esse dinheiro é um tributo que o consumidor de energia pagou a mais de forma indevida durante muitos anos e que o STF decidiu que não poderia pagar. Portanto, esse imposto gerou um crédito tributário que pertence ao consumidor e, por isso, ele deve ser utilizado para reduzir o preço da energia”, afirma.

Segundo o senador, há uma pressão muito forte tanto na Câmara como no Senado para a aprovação de medidas para reduzir o valor da energia elétrica. “Tem que pressionar e é isso que nós estamos fazendo. Mostrando para o governo alternativas concretas e factíveis que temos e uma delas é utilizar esse recurso”, disse.

Além da Aneel e do ministério de Minas e Energia, foram convidados para a audiência representantes da Associação Brasileira de Companhias de Energia Elétrica (ABCE), da Associação dos Grandes Consumidores de Energia e de Consumidores Livres (ABRACE), da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE)  e do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

Leia mais: Força-tarefa na ALMT pode barrar reajuste de energia elétrica em Mato Grosso

CLIQUE AQUI E VEJA MAIS NOTÍCIAS DE POLÍTICA E DESENVOLVIMENTO

Tagged: , , , , ,