Estímulo Econômico

Big Bang Day: Governo Federal lança nesta terça (25) pacote de medidas para estimular a economia

O evento vem sendo chamado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, como o “Big bang day”
Segunda-feira 24 de Agosto de 2020
Redação
Big Bang Day: Governo Federal lança nesta terça (25) pacote de medidas para estimular a economia

O governo federal lança nesta terça-feira (25) um megapacote de medidas nas áreas social e econômica, numa tentativa de reativar a economia.

O evento vem sendo chamado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, como o “Big bang day” do governo, que irá lançar num só dia o chamado Renda Brasil, medidas para geração de empregos, novos marcos legais e ações para corte de gastos.

Todas as ações estarão sob o guarda-chuva do programa batizado pelo governo de Pró-Brasil que irá substituir o Bolsa Família. O novo programa social irá aumentar o número de beneficiários de 14 milhões de famílias para mais de 20 milhões, além de aumentar o valor pago aos beneficiários.

O governo também vai anunciar a desoneração da folha de pagamentos das empresas para a faixa salarial de até um salário mínimo (hoje em R$ 1.045). Essa medida faz parte do que Guedes chama de “rampa de acesso” do Renda Brasil para o emprego formal. A desoneração da folha custa cerca de R$ 22 bilhões ao ano. E será sustentada pela criação de um novo imposto sobre transações eletrônicas.

A equipe econômica quer lançar o novo imposto, nos moldes da antiga CPMF, também nesta terça-feira, mas encontra ainda resistências da área política do governo para incluir a medida do pacote. O temor de ministros com assento no Palácio do Planalto é contaminar um dia que o governo vê como oportunidade de anunciar medidas consideradas positivas, embalado pelo resultado positivo para a geração de empregos em julho.

Privatizações

No evento, serão ainda mencionadas grandes privatizações. Guedes deve falar das privatizações do Porto de Santos, dos Correios e da PPSA. A PPSA é a estatal responsável pela parte do governo nos contratos do pré-sal. Sua privatização é, na prática, uma megaoperação de antecipação de receitas que o governo conseguiria com a venda do petróleo que lhe cabe nos contratos de partilha de produção.

Leia mais: Mais de 40% dos brasileiros acredita que economia do país vai piorar, aponta pesquisa


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS