Mudança

Como a saída de Sérgio Moro pode afetar a economia e seus investimentos

O principal fator que devemos acompanhar nos próximos meses é a curva de juros
Sábado 25 de Abril de 2020
FDR/Terra
Como a saída de Sérgio Moro pode afetar a economia e seus investimentos

O anúncio da demissão e o discurso do ex-ministro Sérgio Moro abalou o mercado brasileiro nesta sexta-feira (24). Além da grande queda no principal índice da bolsa (IBOV), o fato pode mudar o cenário de investimento para 2020.

Exatamente por isso que prejuízos em investimentos de Renda Fixa podem assustar muitos investidores que acreditavam que a rentabilidade era garantida.

O principal fator que devemos acompanhar nos próximos meses é a curva de juros. Mesmo com os últimos cortes da Selic, que empurraram o CDI para baixo, os juros futuros podem disparar com esse nível de incertezas políticas.

Isso acontece por que a taxa de juros depende da credibilidade do país perante os investidores e outras nações. Como a saída do ministro Moro desestabiliza o governo, a taxa de juros pode sim aumentar.

Com juros mais altos os investimentos pós-fixados serão beneficiados enquanto títulos prefixados e atrelados à inflação podem perder valor.

Investidores em Renda Fixa que possuem títulos prefixados e atrelados devem acompanhar esse movimento e não vender os papéis durante uma alta dos juros.

Quem pretender investir nos próximos meses deve favorecer os pós-fixados, como títulos que rende 100% ou mais do CDI.

É importante tomar cuidado com Fundos de Investimentos, algumas empresas têm relatado uma corrida de resgates que pode te fazer perder dinheiro.

Investidores da Bolsa têm chance de recuperar os investimentos?

Como se a grande queda do coronavírus não fosse suficiente, o episódio da demissão do Sérgio Moro pode levar a bolsa de volta aos níveis de março.

É difícil estimar um tempo de recuperação, pois muita coisa pode mudar na economia brasileira nas próximas semanas.

Os investidores em Renda Variável vão precisar de muita paciência e sangue frio neste momento, com níveis de preço mais baixo não é indicado vender suas ações nas próximas semanas.

Precisamos esperar um esclarecimento melhor dos rumos políticos do país antes de tomar grandes decisões financeiras.

Somente após uma melhor definição do cenário vamos conseguir identificar quais empresas podem sair prejudicadas e quais podem ser beneficiados com o movimento.

Neste caso pode sim valer a penas investir em empresas sólidas que tiveram alguma queda em seu preço e podem estar com um custo de oportunidade para o investidor.

Como podemos proteger nosso investimentos nesse momento?

Para isso não temos como fugir da diversificação, alocar seus recursos em diferentes setores e empresas que podem reagir de maneira diferente em cada situação.

Ativos como dólar, ouro e commodities também podem te ajudar nisso, já que como têm algum lastro real (com exceção do dólar) não dependem totalmente do sistema financeiro.

Mesmo com um custo mais alto, ainda compensa destinar uma pequena parte do seu patrimônio em investimentos dolarizados e até na própria moeda americana.

Mesmo que isso não te entrega uma rentabilidade gigantesca pode te ajudar a compensar um prejuízo maior durante os próximos meses.

Leia mais: Executivo do Itaú BBA reduz projeção do índice Ibovespa para 94 mil pontos em 2020


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS