Estudo cooperativas

Cooperativas de crédito versus bancos privados: comportamento após a captura de novos clientes

O estudo apresenta o histórico das mudanças nas regras das principais modalidades de recolhimentos compulsórios e direcionamentos obrigatórios implementadas pelo BCB nos últimos anos
Quarta-feira 08 de Julho de 2020
MT Econômico/Banco Central
Cooperativas de crédito versus bancos privados: comportamento após a captura de novos clientes

Muitas empresas e clientes pessoa física trocam de instituição financeira quando recebem ofertas de crédito mais barato. Essa migração costuma ocorrer do banco tradicional para as cooperativas de crédito, que estão se espalhando pelo país.

O MT Econômico traz hoje um estudo do Banco Central publicado ontem (7) que avalia se essa vantagem de curto prazo pode ser contraposta pelo aumento gradual das taxas de juros na nova instituição financeira. 

Os resultados apontam que as cooperativas de crédito atraem novos clientes oferecendo taxas de juros mais baratas e vão paulatinamente aumentando os spreads nas novas operações. No entanto, a intensidade dos aumentos encontrados para cooperativas de crédito é menor quando comparada à dos bancos privados.

Mudanças nas regras dos recolhimentos compulsórios desde 2016

O estudo apresenta o histórico das mudanças nas regras das principais modalidades de recolhimentos compulsórios e direcionamentos obrigatórios implementadas pelo BCB nos últimos anos. Essas alterações tiveram impactos relevantes em termos de volume total recolhido, alíquotas efetivas e, consequentemente, recursos disponíveis para as instituições. Além disso, elas reduzem distorções, melhoram a eficiência na alocação dos recursos e reduzem o custo de observância, sem elevar o risco sistêmico e a proporcionalidade das alíquotas por porte de segmento bancário.

 

Leia mais: A economia deve recuperar lentamente ou em “V”? Confira as previsões para o 2º semestre deste ano


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS