Desemprego

Com quase 15 milhões de desempregados, Brasil atinge recorde histórico desde 2012, segundo pesquisa do IBGE

O trimestre volta a repetir a preponderância do trabalho informal, reforçando movimentos que já vimos em outras divulgações
Segunda-feira 03 de Maio de 2021
Redação MT Econômico
Com quase 15 milhões de desempregados, Brasil atinge recorde histórico desde 2012, segundo pesquisa do IBGE

No trimestre encerrado em fevereiro, o número de desempregados no Brasil foi estimado em 14,4 milhões pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua divulgada na última sexta (30), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o maior contingente desde 2012, desde o início da série histórica da pesquisa.

O resultado representa alta de 2,9%, ou de mais 400 mil pessoas desocupadas em relação ao trimestre anterior, de setembro a novembro de 2020, quando a desocupação foi calculada em 14 milhões de pessoas.

“O trimestre volta a repetir a preponderância do trabalho informal, reforçando movimentos que já vimos em outras divulgações - a importância do trabalhador por conta própria para a manutenção da ocupação”, disse a analista da pesquisa, Adriana Beringuy, em nota.

De acordo com o IBGE, a estabilidade do contingente de pessoas ocupadas - aproximadamente 85,9 milhões no trimestre encerrado em fevereiro de 2021 – é decorrente da informalidade, com o aumento dos trabalhadores por conta própria. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, o contingente de pessoas ocupadas apresentou queda de 8,3%, representando uma redução de 7,8 milhões de empregados.

Apenas a categoria de trabalhadores por conta própria, que totaliza 23,7 milhões de pessoas, apresentou crescimento (3,1%) na comparação com o trimestre anterior (setembro a novembro de 2020), significando a adição de 716 mil pessoas neste contingente. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o indicador apresentou uma redução de 824 mil postos.

As demais categorias apresentaram estabilidade em relação ao trimestre anterior. Os trabalhadores do setor privado com carteira de trabalho assinada foram calculados em 29,7 milhões de pessoas. 

Leia mais: Expectativa da população do Centro-Oeste para retomada da economia é apenas em 2022, segundo pesquisa da Febraban


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS