Cimento em alta

Com setor da construção civil aquecido, vendas de cimento iniciam 2021 com crescimento de 10,5% em relação ano ano anterior

Segundo o presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC), Paulo Camillo Penna, a expectativa para este ano é superar a performance positiva ocorrida no ano passado
Terça-feira 09 de Fevereiro de 2021
Redação MT Econômico
Com setor da construção civil aquecido, vendas de cimento iniciam 2021 com crescimento de 10,5% em relação ano ano anterior

Com o setor da construção civil aquecido, um dos principais insumos para obras tem registrado bom desempenho no começo de 2021. As vendas de cimento no Brasil em janeiro totalizaram pouco mais de 5 milhões de toneladas, um crescimento de 10,5% em relação ao mesmo mês de 2020, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC).

A venda de cimento por dia útil no período foi de 223,6 mil toneladas, aumento de 7,3% comparado ao mês anterior e de 17,5% em relação a janeiro de 2020. Esse indicador que considera o número de dias trabalhados tem forte influência no consumo de cimento.

Os principais indutores desse crescimento da atividade em janeiro foram as condições climáticas favoráveis de maneira geral, a manutenção das obras imobiliárias e as últimas liberações do auxílio emergencial apoiando a autoconstrução. Ademais, a baixa performance das vendas em janeiro de 2020, em razão das fortes chuvas, resultou numa base fraca sobre a qual o desempenho deste ano acabou favorecido.

Além das grandes obras, a pandemia também contribuiu para o aumento de compra de insumos da construção civil, com pequenas reformas residenciais, conforme noticiado pelo MT Econômico anteriormente aqui.

A região Norte do país foi a única que registrou queda de vendas de cimento, -14%, em razão do agravamento da crise sanitária, que ensejou a restrição de circulação e a consequente desaceleração das atividades econômicas, particularmente da construção civil.

Perspectiva 2021

Segundo avaliação do MT Econômico, este ano alguns fatores estão no radar do mercado que podem ser positivos para o setor da construção civil, entre eles: a vacinação que estimula a retomada econômica, a possível extensão do auxílio emergencial, a manutenção dos juros baixos dos financiamentos imobiliários, o avanço de importantes reformas no Congresso Nacional e programas de estímulo à infraestrutura, que devem criar mais confiança nos investidores e com isso estimular circulação de dinheiro e desenvolvimento econômico e social no país.

Leia também: Construção Civil de MT deve facilitar operações de transporte, com emissão de nota fiscal avulsa pela internet

Segundo o presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC), Paulo Camillo Penna, a expectativa para este ano é superar a performance positiva ocorrida no ano passado. “O grande desafio do setor do cimento em 2021 será superar a performance que tivemos a partir de maio de 2020, responsável em nos trazer de volta ao patamar de comercialização de 60 milhões de toneladas, equivalente as vendas anualizadas em meados de 2016”, finaliza.

 

Veja abaixo alguns números apurados pelo MT Econômico que fazem parte da pesquisa do Sindicato  Nacional da Indústria de Cimento (SNIC).

 

 

 

Leia mais: Mercado imobiliário de Cuiabá movimentou R$ 3,2 bilhões em 2020


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS