Consumidor

Veja dicas antes de comprar na Black Friday para não cair em armadilhas

O comércio eletrônico teve um crescimento expressivo esse ano devido à pandemia
Redação MT Econômico
Veja dicas antes de comprar na Black Friday para não cair em armadilhas

O esquenta do Black Friday já está acontecendo e os consumidores estão ávidos para aproveitarem as ofertas na tentativa de economizar nos produtos desejados.

Pesquisa realizada pelo Opinion Box em parceria com a Social Miner divulgada essa semana mostrou que 24% das pessoas das pessoas pretendem investir mais de R$ 1.000 em compras na Black Friday, que acontece oficialmente no dia 27 de novembro. Outros 28% revelaram que irão comprar para adiantar as compras de Natal. Já 63% disseram que não vão deixar de aproveitar as ofertas da data.

O comércio eletrônico teve um crescimento expressivo esse ano devido à pandemia. Entre as categorias de produtos mais comprados estão os Smartphones, Eletrônicos, Informática, Eletrodomésticos, Moda e Saúde e Beleza 

O auxílio emergencial também ajudou a impulsionar as vendas online e presenciais em 2020. Conforme noticiado pelo MT Econômico, o estado de Mato Grosso teve um impulso na economia durante a pandemia. O principal fator é pelo estado ter vocação agrícola e ter aumentado as exportações de commodities, mas o comércio também se aqueceu esse ano, após alguns momentos de baixa, impulsionando a arrecadação de ICMS e a economia de Mato Grosso. Veja mais aqui.

Na Black Friday, espera-se um aumento no consumo no Brasil de um modo geral. O Educador Financeiro, vice-presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) alerta a população para alguns riscos. “Os consumidores tem reduzido o endividamento por estarem mais em casa na pandemia, isso fez com que muitos organizassem melhor suas finanças e gastassem menos. A quitação de dívidas atrasadas também foi constatada nas últimas pesquisas de mercado. No entanto, vale lembrar que como a população é propensa ao consumo, provavelmente aumentarão o endividamento neste final do ano e isso deve refletir nas pesquisas de endividamento familiar do primeiro trimestre de 2021, podendo voltar ao ciclo de dívidas elevadas antes da pandemia”, segundo opinião do especialista.

O MT Econômico traz algumas dicas do Procon-MT para ajudar os consumidores a realizarem compras mais conscientes e não caírem em armadilhas no Black Friday. Veja abaixo:

Eletroeletrônicos e eletrodomésticos

1. A busca por aparelhos tecnológicos se destaca neste período. Entre tanta variedade e recursos diferentes, a melhor compra é aquela que satisfaz a real necessidade do presenteado. Além disso, confira o consumo de energia do aparelho, verifique se há rede credenciada de assistência técnica para a marca na sua cidade e peça para testar o equipamento.

Vestuário

2. Se optar por peças de roupas ou calçados, fique atento às etiquetas e confira se produto apresenta algum defeito. Vale destacar que a troca por questões de gosto e tamanho depende da política adotada pelo estabelecimento. Por isso, é importante que o prazo de troca esteja especificado por escrito no comprovante de compra. Devido às medidas sanitárias de prevenção da Covid-19, alguma lojas fecharam os provadores. Assim, a atenção aos tamanhos e possibilidades de troca do produto deve ser redobrada.

Brinquedos

3. Existe um selo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Metrologia Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) que informa se o brinquedo foi testado e se está de acordo com as normas de qualidade e segurança. Assim, sempre verifique se esse selo está presente na embalagem e observe as indicações de faixa etária para não comprar algo que ofereça risco à criança. Compre brinquedos com procedência garantida em Nota Fiscal.

Arrependimento e garantia

4. Aquisições feitas fora do estabelecimento comercial (telefone, internet, catálogo) podem ser canceladas dentro de sete dias - contados da assinatura do contrato ou do recebimento do produto - e o consumidor tem direito à devolução dos valores já pagos. Em caso de defeito no produto, o Código de Proteção e Defesa do Consumidor (CDC) estipula uma garantia legal de 30 dias para produtos não duráveis (como alimentos, por exemplo) e 90 dias para bens duráveis (como celular, televisão, geladeira, etc).

CDC

5.Em caso de dúvidas, peça para verificar o Código de Defesa do Consumidor (CDC). É dever de todo estabelecimento comercial disponibilizar um exemplar para consulta dos clientes.

Compras pela internet

6. Verifique se constam no site o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), endereço físico e canais de troca e atendimento.

7. Ao efetuar a compra, imprima ou salve em seu computador a página do site com os dados e, antes de enviar os dados pessoais de seu cartão de crédito, observe se a conexão é segura.

8.  Atenção para a cobrança de frete, existência de outras taxas e prazo de entrega.

9. No caso de compras pela internet, catálogos, em domicílio ou telemarketing, é possível desistir da aquisição em até sete dias após a assinatura do contrato ou recebimento da mercadoria. O cancelamento deve ser solicitado por escrito.

Nota Fiscal

10. Não se esqueça de exigir o documento fiscal. Ele é que comprova a relação de consumo e será necessário para reclamar, caso haja algum problema com o produto.

11. Não se deixe levar por promoções suspeitas, entre pagar mais barato e comprar produto com nota fiscal - que garante prazo de troca e garantia - fique com a opção mais segura.

12. O prazo para reclamações é de 30 dias para produtos não duráveis (que se extinguem rapidamente com seu uso, como os alimentos, por exemplo) e de 90 dias para os bens duráveis (que têm consumo prolongado, como aparelhos celulares, geladeira, televisão, dentre outros).

Cuidados sanitários o ao receber a mercadorias ou em contatos na hora da compra

13.  Se preferir realizar compras em lojas físicas, lembre-se que o uso da máscara é obrigatório. Leve sempre uma peça reserva, além de álcool para garantir a higienização e compras seguras.

14. Evite contato corporal com o vendedor/entregador, como aperto de mão e falar muito próximo.

15. Procure não manusear as peças e produtos expostos, observe e pegue somente o que deseja comprar.

16. Ao realizar pagamento em dinheiro, se possível, separe o valor exato da compra para evitar o manuseio de outras cédulas.

17. Quando o pagamento for por cartão, prefira que só você tenha contato com ele e logo depois o higienize.

18. Nos estabelecimentos comerciais observe se estão sendo seguidas as regras de segurança sanitárias;

19. Quando chegar em casa ou receber a mercadoria, higienize as embalagens antes de abri-las, se possível lavando com água e sabão, ou borrifando álcool 70% ou solução de água sanitária e água.

RECLAMAÇÕES

20. Caso tenha algum problema na relação de consumo, procure o Procon mais próximo ou registre sua reclamação pelo site www.consumidor.gov.br. Na plataforma online é possível registrar reclamações sem sair de casa, basta ter acesso à internet.

Leia mais: Comércio de Cuiabá espera aumento de 5,2% nas vendas no período de Natal


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS