Setor automotivo

Vendas de veículos novos sobe 35,97% em Mato Grosso, mas setor ainda sofre com elevado custo de frete

O custo do frete marítimo ficou 339% mais caro de janeiro de 2020 para janeiro de 2021, sendo que a locação dos contêineres está 170% mais cara agora. Para o transporte aéreo a alta é de 105%.
Segunda-feira 07 de Junho de 2021
Redação MT Econômico
Vendas de veículos novos sobe 35,97% em Mato Grosso, mas setor ainda sofre com elevado custo de frete

Em Mato Grosso, as vendas de veículos zero quilômetro aumentaram 35,97% em maio em relação a abril. No acumulado do ano o resultado também é positivo de 12,71% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos) - Regional Mato Grosso.

Apesar dos números positivos, o setor automotivo ainda sofre com o desequilíbrio no mercado, que foi impactado pelo aumento no custo da matéria-prima, falta de estoques, fechamento de fábricas, alta do dólar, elevação do frete, além das medidas de fechamento das cidades e retração dos consumidores, diante de um cenário incerto.

Toda a cadeia produtiva global foi impactada pela pandemia da covid-19. Isso gerou falta de insumos e atrasos de fretes em todos os modais. Se voos foram cancelados, faltaram (e ainda faltam) contêineres para transporte marítimo.

Diante disso, o valor dos fretes aumentaram muito. Dados públicos apresentados pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) apontam que o custo do frete marítimo ficou 339% mais caro de janeiro de 2020 para janeiro de 2021, sendo que a locação dos contêineres está 170% mais cara agora. Para o transporte aéreo a alta é de 105%.

O presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Carlos Moraes, destacou que a indústria vem fazendo um grande esforço logístico para não paralisar a produção (a ponto de transportar peças de helicóptero de aeroportos diretamente para a fábrica) ou adequar a capacidade produtiva e o próprio mix de produção (entre versões e modelos, por exemplo).

Confira abaixo dados de vendas do setor de veículos em Mato Grosso.

Automóveis e comerciais leves

Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, Mato Grosso emplacou 3.942 unidades em maio, contra 3.454 em abril. No acumulado do ano, a soma é de 18.596 unidades. Já o mesmo período de 2020 soma 15.368 emplacamentos.

Caminhões  

Em maio, o segmento emplacou no Estado 415 unidades, enquanto abril registrou 291, um aumento de 42,61%. No acumulado do ano, o crescimento registrado é de 54,28%, considerando que de janeiro a maio emplacou-se 1.691 unidades contra 1.196 no ano passado.

O segmento de caminhões também confirma a falta de estoques. Lideranças do setor acreditam na possibilidade de crescimento nas vendas ainda este ano mediante maior atividade das montadoras. E também esse mercado está aquecido por conta da agricultura.

Maio foi um ótimo mês considerando a pandemia. Para o setor de transportes,a tendência é que em 2021 sejam mantidos os mesmos volumes e com possibilidade de crescimento, porém tudo depende do retorno das montadoras.

Implementos rodoviários 

Em maio, o segmento cresceu 4,46%, ao emplacar 702 unidades. No acumulado do ano, o crescimento é de 46,42%, com 3.315 unidades.

Motocicletas

As entregas de motos dispararam nas lojas. Maio emplacou 3.692 unidades e 2.100 foram entregues em abril, uma alta de 75,81%. Por outro lado, quando se avalia o acumulado do ano, o setor ainda registra saldo negativo de -8,19%. Tem demanda, mas as concessionárias estão sem estoque. Há uma espera de 45 dias, em média, para a entrega. As altas são em face de melhora no volume de fabricação do produto, porém ainda para atendimento a clientes que negociaram entre março e abril.

Leia mais: Opinião - O automóvel: um “trem” que chegou e ficou


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS