FERROVIA

Audiência pública sobre Ferrovia de Integração do Centro-Oeste debate desenvolvimento em MT

Discussão realizada em Água Boa contou com a presença de autoridades
Quarta-feira 19 de Junho de 2019
ALMT / MT Econômico
Audiência pública sobre Ferrovia de Integração do Centro-Oeste debate desenvolvimento em MT

Um tema que está sempre na pauta dos políticos, produtores e empresários é a futura malha ferroviária da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO).

Ela foi discutida em  audiência pública realizada na última sexta-feira (14) na cidade de Água Boa. Foram tratados temas das obras de infraestrutura das rodovias federais e estaduais que compreendem a futura malha ferroviária da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO). Também estiverem presentes o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes, e o governador do estado, Mauro Mendes (DEM).

A audiência foi propositiva e deixou o segmento do agronegócio animado. 

Quando um empreendimento como este chega a uma região, ele traz inúmeros benefícios, como é o caso da oferta de emprego e o fomento no comércio local. A presença em massa da população, do segmento do agronegócio e da classe política, fortaleceu ainda mais o debate acerca das obras de infraestrutura como é o caso da BR-242, BR-158 atualmente a principal via de acesso até Alto Palmerante (TO), onde a maior parte da produção é carregada nos vagões da ferrovia Norte-Sul até o terminal em São Luiz (MA), além das MTs- 240 e 414.

"A FICO é prioridade no Governo Federal, e para que isso ocorra, vamos trabalhar de maneira incansável para que até o início do próximo ano os trilhos comecem a andar”, ratificou Tarcísio Gomes.

Durante a palestra, o ministro descartou qualquer mudança no traçado original, com relação a BR-242. “Nós temos uma alteração minuciosa revisada pela VALEC [empresa pública, vinculada ao Ministério da Infraestrutura], que atualizou o traçado da FICO para o município de Mara Rosa/GO, por apresentar ganhos operacionais sem aumento de custo de implantação, quando comparado ao projeto de 2010 que seria Campinorte/GO”, explicou o ministro.

Conforme a VALEC, alteração dos municípios de Goiás foi autorizada pelo Ibama como complemento do projeto, que será tratada na Licença de Instalação, sem a necessidade de uma nova Licença Prévia.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS