Economia Local

Com décimo terceiro, mais de R$ 1 bilhão será injetado na economia de MT. O que fazer com o recurso financeiro?

O comércio deve ter um bom incremento no período natalino, bem como o setor de serviços
Quinta-feira 19 de Dezembro de 2019
MT Econômico
Com décimo terceiro, mais de R$ 1 bilhão será injetado na economia de MT. O que fazer com o recurso financeiro?

Os servidores públicos estaduais receberão amanhã (20) o décimo terceiro salário, conforme mencionado pelo governo de Mato Grosso essa semana. 

O recurso previsto em lei corresponde a cerca de R$ 560 milhões, somando o que tem direito os servidores do estado, que acrescidos com o salário recebido esse mês, em torno de R$ 578 milhões, contabilizarão mais de R$ 1 bilhão injetados na economia de Mato Grosso no mês de dezembro.

O comércio deve ter um bom incremento no período natalino, bem como o setor de serviços, já que muitos servidores fecham seus pacotes de viagem para o próximo ano com esse recurso financeiro, além de adquirirem outros serviços relacionados à beleza e bem estar. 

A quitação de algumas dívidas também deve ser realizada por muitos servidores com parte do décimo terceiro.

Além do dinheiro que deve movimentar a economia de Mato Grosso, principalmente da capital, o governador Mauro Mendes disse esse mês que os servidores podem ficar tranqüilos que receberão seus salários no dia 10 de cada mês, colocando fim ao parcelamento necessário que ocorreu durante esse ano devido à dificuldade de caixa do estado, em decorrência do “rombo” deixado pela gestão anterior. 

O dinheiro que será gasto no comércio local, nos serviços e até no pagamento de contas deve retornar ao Estado por meio dos tributos. Se os recursos forem gastos nos municípios mato-grossenses gerarão retorno de R$ 80 milhões para os cofres públicos, segundo estimativa do governo estadual.

O que fazer com o décimo terceiro

O MT Econômico lembra os servidores que apesar do “dinheiro no bolso” neste fim de ano ser uma boa notícia para a realização dos planos de consumo, é importante guardar parte do recurso em uma reserva de emergência visando garantir tranqüilidade em situações de imprevisto e quitar algumas dívidas prioritárias. Também é recomendável guardar outra parte para o longo prazo, pensando nos planos do futuro. E é claro, uma parte deve ser utilizada para o consumo neste final de ano, contemplando o comércio local e lazer com a família ou entre amigos.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS