BLACK FRIDAY

Comércio de Cuiabá projeta aumento de vendas na Black Friday este ano

O consumidor passou a acreditar que há promoções reais e se prepara para elas
Quinta-feira 31 de Outubro de 2019
MT Econômico/CDL Cuiabá
Comércio de Cuiabá projeta aumento de vendas na Black Friday este ano

No dia 29 de novembro acontece a Black Friday que deve ter um aumento de 18% em relação ao ano de 2018. A estimativa é da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e pela consultoria Ebit/Nielsen, a expectativa de faturamento no e-commerce é acima de R$ 3 bilhões, com aumento de 18% em relação ao ano passado.

Para a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá), as vendas também devem ter um aumento significativo nas lojas físicas. “É uma data que vem ganhando cada vez mais espaço no calendário brasileiro, muitos consumidores, por sinal, aguardam esse dia para fazer suas compras já pensando nos descontos que poderão ter, então, nossa expectativa é boa e acreditamos que o comércio em geral deve se preparar para a data com suas promoções”, afirmou o superintendente da entidade, Fábio Granja.

Segundo ainda o superintendente da CDL Cuiabá, com a consolidação cada vez maior da Black Friday o consumidor passou a acreditar que há promoções reais e se prepara para elas. “Por isso é importante o lojista realmente participar colocando descontos reais nos produtos, principalmente para não perder essa credibilidade do cliente, que tem aumentado a cada ano”, disse ele.

A pesquisa feita pela ABComm mostra ainda que 99% dos brasileiros já conhecem a Black Friday, que foi criada pelo comércio dos Estados Unidos para liquidar os estoques, com oferta de mercadorias cujos descontos chegam a até 70% do valor normal. A promoção também se popularizou no Brasil.

Outra pesquisa feita recentemente pelo Google em sua plataforma indica que o número de compradores online deve se igualar ao de compradores em lojas físicas: 37% declararam que comprarão apenas nas lojas físicas e 38% apenas na internet. Aqueles que pretendem comprar pelos dois canais são 25%.

Granja acredita que isso ocorre pelo fato "do consumidor estar entendendo que a Black Friday não é só digital, mas também física. É um movimento que já vinha crescendo, mas que acelerou drasticamente nos últimos dois ou três anos", disse, acrescentado que um dos motivos para isso é o crescimento do número de categorias de produtos oferecidos, indo além dos eletroeletrônicos e linha branca, por exemplo.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS