INFLAÇÃO

Inflação para famílias de menor renda sobe em abril

Tarifas de ônibus urbanos, móveis para residência, bilhete lotérico e passagens aéreas foram itens que puxaram a inflação
Terça-feira 07 de Maio de 2019
Redação MT Econômico/FGV Ibre
Inflação para famílias de menor renda sobe em abril

Dados do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) divulgados ontem (06) apontam que a inflação para famílias com renda de 1 a 2,5 salários mínimos avançou no mês de abril e seguiu com uma taxa acumulada maior que o índice geral. 

A variação de preços para famílias de menor renda é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), que fechou o mês de abril com alta de 0,73%. O resultado de abril representa uma aceleração da inflação em relação a março, quando a variação foi de 0,67%.

Em 12 meses, a inflação para as famílias com renda de 1 a 2,5 salários mínimos acumula 5,86%, enquanto o índice geral calculado pela FGV, o IPC-BR, soma 5,19%.

Segundo a FGV, o aumento do IPC-C1 foi registrado em sete das oito classes de despesas que fazem parte do orçamento dessas famílias. A classe  de saúde e cuidados pessoais se destacou nesse aspecto, já que saltou de uma inflação de 0,25% em março para uma de 1,08% em abril. Os medicamentos em geral contribuíram para o resultado, já que a inflação de 0,09% em março aumentou para 1,68% em abril. 

Tarifas de ônibus urbanos, móveis para residência, bilhete lotérico e passagens aéreas foram itens que puxaram a inflação nas classes transportes, habitação e despesas diversas.

Em Cuiabá, por exemplo, a tarifa do ônibus subiu de R$ 3,85 para R$ 4,10 e está sob questionamento dos órgãos de controle.

No mês passado a inflação geral teve a quarta alta seguida, conforme publicado anteriormente pelo MT Econômico neste link.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS