O tempo de abastecimento de veículos equipados com o kit gás natural está mais rápido no Posto América, localizado na Avenida Archimedes Pereira Lima, a Estrada do Moinho, em Cuiabá. A fluidez nas filas de veículos ocorre após a instalação de um compressor. Agora, quatro veículos são atendidos de uma vez com uma pressão mais alta nos chamados ‘dispensers’ (equivalente à bomba). O atendimento mais ágil é feito desde o último domingo.

“Hoje o tempo de espera varia entre 15 e 30 minutos, o que está dentro da normalidade nos postos que comercializam GNV”, destaca o revendedor Nilson Teixeira, proprietário do Posto América.  

Já prevendo o crescimento da demanda, em 11 de dezembro de 2020 foram comprados pela GNC Brasil, distribuidora de gás em Mato Grosso, dois dispensers e boosters (compressores). São equipamentos mais modernos destinados ao abastecimento dos veículos com o kit gás. Entretanto, os equipamentos comprados ano passado pela GNC Brasil só foram entregues recentemente em Mato Grosso. O atraso está fora da responsabilidade da distribuidora, pois é devido à demanda e quebra de produção de suprimentos que ocorreu nas indústrias em geral durante a pandemia.

Leia também: Preço do GNV é reajustado em Cuiabá e VG e sobe até R$ 0,35 na bomba

Aldo Locatelli, representante da distribuidora GNC Brasil e presidente do Sindipetróleo, declara que compra de equipamentos é compromisso com os postos e respeito aos motoristas. Diz ainda que é preciso transparência do governo quando se tratar do mercado de GNV. Ele pede que o governo seja transparente para levar verdadeiros esclarecimentos aos motoristas profissionais, como os taxistas e de aplicativos. “Quando falar do gás, o governo estadual precisa dizer que existe um problema de falta de equipamentos, que não há disponibilidade no mercado. Não é um problema particular de Mato Grosso. Uma das soluções apresentadas pela Companhia Mato-Grossense de Gás (MT Gás) aumentaria muito o custo do produto. Além disso, outras soluções não chegarão em curto prazo. Isso precisa ficar o mais claro possível, pois a comercialização de GNV não pode ser gerida por ações amadoras. A GNC busca fazer o que é seguro ao motorista”.

Atualmente, Mato Grosso consome em torno de 600 mil metros cúbicos (m³) de gás natural. Mais da metade deste volume destinado aos postos e o restante vai para indústrias. A demanda tem crescido, principalmente, após os diversos aumentos nos preços da gasolina e do etanol. Por ter o melhor rendimento por quilômetro rodado, o gás natural veicular permite hoje uma economia média para os motoristas de cerca de 60% em relação ao etanol.

Os postos que comercializam o produto são:

– Posto Santa Elisa – General Melo com Miguel Sutil, em Cuiabá

– Posto Ipê – Rodovia Palmiro Paes de Barros, em Cuiabá

– Posto América – Av. Brasília, esquina com Estrada do Moinho, em Cuiabá

– Posto Santos Dumont, localizado na Av. João Ponce de Arruda, próximo ao aeroporto, em Várzea Grande.

CLIQUE AQUI E VEJA MAIS NOTÍCIAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

Tagged: , , , , , , ,