EXPORTAÇÕES AGRO

Mato Grosso comemora resultado de vendas do agronegócio no primeiro semestre

O milho, com elevação de 932% nas vendas, alcançou US$ 272 milhões, com embarques de 1,4 milhão de toneladas do grão
Quarta-feira 17 de Julho de 2019
Mapa
Mato Grosso comemora resultado de vendas do agronegócio no primeiro semestre

O primeiro semestre foi positivo para o setor do agronegócio em Mato Grosso. As exportações de produtos somaram faturamento de US$ 8,36 bilhões no estado. De janeiro a junho o faturamento foi de US$ 8,65 bilhões, os produtos do agro representaram mais de 96,6% do faturamento global nos primeiros seis meses desse ano.

O complexo soja (grão, óleo e farelo) segue como carro-chefe dos embarques e equivale a US$ 6,05 bilhões da pauta global, movimentando mais 17,16 milhões de toneladas. Em percentual, o complexo foi responsável por mais de 72,36% do faturamento registrado no período, em US$ 8,36 bilhões. Os dados são da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

As vendas de milho, que somam US$ 920,77 milhões, seguidas pelo complexo carnes, com negócios em US$ 623,17 milhões e do algodão, US$ 618,61 milhões.

A receita mato-grossense representa 17,55% de tudo que o país movimentou nos últimos seis meses. Mato Grosso lidera o ranking nacional das exportações do agro seguido por São Paulo, US$ 7,09 bilhões, Paraná, US$ 6,06 bilhões, Rio Grande do Sul, USS 5,16 bilhões e Minas Gerais, US$ 3,78 bilhões. Os cinco maiores exportadores brasileiros foram responsáveis por 63,89% dos mais de US$ 47,68 bilhões contabilizados pelo Brasil no semestre.

Apesar da liderança no País, as exportações do agro estadual encolheram 2% em junho frente a igual mês do ano passado, com o saldo passando de US$ 1,48 bilhão para atuais US$ 1,11 bilhão. Considerando somente o mês passado, Mato Grosso cedeu a liderança para São Paulo, cujo faturamento foi de US$ 1,20 bilhão.

BRASIL - As exportações brasileiras do agro, em junho, foram puxadas pelos embarques das carnes (bovina, suína e de frango) e milho. De acordo com o Mapa, as vendas representaram US$ 8,34 bilhões, recuo de 8,9% nas divisas em relação a junho de 2018, em função da queda de 9,5% no índice de preço dos produtos agropecuários exportados pelo Brasil. A participação do agronegócio na balança comercial brasileira de junho ficou em 46,3%.

As exportações de carne tiveram forte elevação em junho de 2019 na comparação com o mesmo mês de 2018. Foram exportadas US$ 1,32 bilhão em carnes (+84,8%). Grande parte dessa expansão ocorreu em função do aumento da quantidade de carne exportada (+72,2%) embora o preço médio de exportação das carnes também tenha subido (+7,3%). Todos principais tipos de carnes exportadas pelo Brasil tiveram elevação no valor exportado, a exceção às carnes de peru (-20,2%).

A principal carne exportada foi a carne de frango, com US$ 629,95 milhões (+76,7%). As vendas externas de carne bovina subiram 93%, atingindo US$ 514,41 milhões (+93%). A carne suína teve o maior incremento dentre as carnes, subindo 112,1% e atingindo US$ 136,30 milhões.

O milho, com elevação de 932% nas vendas, alcançou US$ 272 milhões, com embarques de 1,4 milhão de toneladas do grão. Os principais países compradores foram Vietnã (US$ 85,1milhões), Irã (US$ 78,2 milhões) e Japão (US$ 24,4 milhões).

As exportações do agronegócio no primeiro semestre foram de US$ 47,69 milhões, recuo de 3,6%. Trata-se do quinto maior valor exportado do agronegócio brasileiro para o período. O valor exportado entre janeiro e junho de 2019 foi ultrapassado somente nos seguintes anos: 2013 (US$ 49,55 bilhões), 2014 (US$ 49,10 bilhões), 2017 (US$ 48,13 bilhões) e 2018 (US$ 49,48 bilhões).


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS