FERROVIA

Projeto de expansão da ferrovia em Mato Grosso contempla Nova Mutum e Lucas do Rio Verde

Ao todo, o projeto prevê a construção de três novos terminais para o transporte da produção agrícola e industrial
Quinta-feira 10 de Outubro de 2019
Gov/MT Econômico
Projeto de expansão da ferrovia em Mato Grosso contempla Nova Mutum e Lucas do Rio Verde

Em reunião com o governador Mauro Mendes, a diretoria da Rumo (antiga ALL), concessionária responsável pela ferrovia em Mato Grosso, confirmou que o Estado será beneficiado diretamente com aumento o no investimento e expansão da malha, assim que for autorizada a renovação da malha paulista usada para escoamento de grãos até porto em Santos e transporte para Mato Grosso de combustível e outros produtos.

A Malha Paulista é a concessionária que administra a malha ferroviária em São Paulo e o contrato acaba em 2028. A concessionária tenta a renovação antecipada do contrato por mais 30 anos. “Se fechar essa renovação, nós teremos muitas coisas boas para Mato Grosso”, destacou o diretor da Rumo, Guilherme Penin e a previsão da empresa é, para os próximos 5 anos, com a renovação da “Malha Paulista”, investir R$ 15 bilhões com ampliação e melhorias na malha ferroviária.

Parte desse investimento, segundo o diretor, será destinado para o Estado de Mato Grosso. O planejamento da empresa é de levar os trilhos da ferrovia para as cidades de Cuiabá, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum (dois grandes produtores de soja e milho na região Norte). Ao todo, o projeto prevê a construção de três novos terminais para o transporte da produção agrícola e industrial. O primeiro passo é levar os trilhos de Rondonópolis a Cuiabá e depois até Mutum (extensão de 250 km mas com traçado que pode ser inferior). A ferrovia agiliza o escoamento da produção e reduzirá o custo de transporte.

Neste ano, conforme publicado anteriormente pelo MT Econômico, o trecho entre Rondonópolis e Cuiabá estava aguardando uma liberação. Veja mais aqui.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS