Turismo da região metropolitana de Cuiabá tem PIB estimado de US$ 886 milhões em 2021

O Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio em Mato Grosso (IPF/MT) divulgou a pesquisa “Panorama turístico de municípios que compõem a Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá”, em que mostra a sua relevância para a economia local e como o setor se comporta no atual cenário.

A pesquisa apontou projeção do PIB (Produto Interno Bruto) do turismo na região em 2021, que deve ser de US$ 886 milhões, segundo o próprio IPF/MT. Além de uma ocupação profissional ligada ao setor em torno de 40,4 mil trabalhadores, de acordo com dados do IBGE.

A pesquisa solicitada pelo Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade de Mato Grosso (Cetur/MT) foi realizada nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Barão de Melgaço, Nobres e Poconé.

O diretor de Pesquisas do IPF-MT, Maurício Munhoz, destacou a influência do setor na contribuição do PIB do Estado. “Apesar de o turismo influenciar em mais de 570 segmentos, o setor contribui com apenas 1,5% do PIB em Mato Grosso, diferente do estado vizinho Mato Grosso do Sul, onde o turismo contribui com até 5% do Produto Interno Bruto. O que precisa ser feito para melhorar este número é trabalhar uma estrutura envolvendo o poder público e o trade turístico no Estado e o Cetur/MT vem justamente para estreitar essa relação”.

Leia também: Mato Grosso ganhou quase 5 mil varejistas em 2021

A presidente do Cetur/MT, Alcimar Moretti, destacou a importância da realização do levantamento. “Nunca foi realizada uma pesquisa tão rica abrangendo uma região do Estado e isso dá um norte para que empresários e gestores públicos possam atuar. Entretanto, ao mesmo tempo, preocupa pelos resultados que apresentaram. Apesar de o mercado estar reprimido, devido à pandemia de Covid-19, são vários os problemas enfrentados, como a falta de infraestrutura e a mão de obra qualificada”.

A pesquisa realizou um levantamento sobre a economia do turismo, buscando dados oficiais do setor, bem como apresentou projeções que ajudam a identificar o peso dos serviços na economia local. Além disso, uma pesquisa de campo foi realizada com turistas e operadores do turismo nessas regiões, 628 pessoas no total, identificando percepções e expectativas para o setor.

A professora e turismóloga Ângela Carrion, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (Campus Cuiabá Cel. Octayde Jorge da Silva), parabenizou o IPF/MT pela realização da pesquisa. “Este estudo será mais uma ferramenta que nos possibilitará melhorar a atuação do turismo no Estado. Ainda assim, sentimos muita falta de políticas públicas que contribuam com o desenvolvimento do setor, seja em nível municipal ou estadual”, enfatizou.

Alcimar Moretti reforçou a importância do Cetur/MT. “O setor voltou a ser visto dentro do Estado, além isso, temos conseguido centralizar as discussões nesta entidade e aproximado cada vez mais o trade turístico e o poder público para alavancar o turismo”, explicou.

Leia também: Turismo de Mato Grosso receberá investimentos de quase R$ 40 milhões em orlas

VEJA AQUI MAIS NOTÍCIAS DE COMÉRCIO E SERVIÇOS

Tagged: , , , , , , ,