Crescimento

Com saldo positivo, setor da construção prevê aumento de empregos formais

Desde o início do ano foram criados 387 empregos formais a mais em Mato Grosso. O número é resultado das 4.317 contratações contra 3.930 demissões realizadas entre janeiro e maio de 2018.
08-08-2018
Fonte: Redação
Foto: Reprodução

O mercado de trabalho no ramo do comércio atacadista e varejista de materiais para construção em Mato Grosso prevê um cenário positivo para os próximos meses devido ao registro do crescimento da atividade do setor. As oportunidades de trabalho nos 5 primeiros meses de 2018 superou o número de demissões após a retração de empregos no ramo da construção em dezembro de 2017. O saldo positivo é de 387 empregos formais criados, resultado de 4.317 novas vagas formais abertas em 2018, isso de janeiro maio, contrapondo a demissão de 3.930, no mesmo período.

O menor número de desligamentos (740) ocorreu em maio, porém nesse mês foi registrado o maior número de contratações deste ano, 911 trabalhadores foram admitidos. A última demanda de admissões nesse volume foi registrado em agosto de 2017, com uma contratação a menos. Em janeiro deste ano, o setor varejista de construção criou 865 vagas de emprego e no mês seguinte 810 novos empregos foram gerados. 

No mês de março o setor assinou 878 carteiras, com uma queda no mês seguinte de 25 desligamentos, sendo contratados 853 trabalhadores. Apesar disso, o saldo se manteve sempre positivo para as vagas de emprego formal.

Segundo Gustavo Nascimento, presidente da Acomac/MT, “ a tendência do setor é aumentar ainda mais devido ao período de estiagem na região que aumenta as demandas paras as lojas”.

Os dados são do projeto Boletins Empresariais desenvolvido pelo Núcleo de Pesquisas Econômicas e Socioambientais da Universidade Federal de Mato Grosso (NuPes-UFMT) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá com base nos dados do Ministério do Trabalho por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

No acumulado, seis das oito atividades pesquisadas apresentaram alta no estoque de empregos, com destaque para atacado de madeiras e derivados, ferragens e ferramentas e materiais de construção juntamente com o varejo de tintas, pinturas vidros, ferragens, madeira e materiais de construção. Em contrapartida, os destaques negativos foram os segmentos de atacadistas e varejistas de material elétrico. (com assessoria)

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



FINANÇAS PESSOAIS