Incoerência prefeitura

Conselho de Educação Física cobra abertura de academias em Cuiabá e aponta incoerência da prefeitura

Empreendimentos estão fechados desde março, quando foram decretadas as primeiras medidas de isolamento social
Segunda-feira 15 de Junho de 2020
MT Econômico
Conselho de Educação Física cobra abertura de academias em Cuiabá e aponta incoerência da prefeitura

Presidente do Conselho Regional de Educação Física de Mato Grosso, Carlos Alberto Eilert, emitiu um comunicado em que questiona a Prefeitura de Cuiabá sobre o porquê as academias e clubes ainda não foram autorizados a funcionar. 

“E agora, senhor prefeito de Cuiabá, uma pergunta que não quer calar: porque segmentos que produzem maior risco já foram liberados e as academias, clubes e escolinhas que promovem a saúde ainda não”, questionou, em posicionamento emitido pelas redes sociais do conselho.

O conselho de Educação Física refere-se à incoerência do prefeito Emanuel Pinheiro em liberar bares e restaurantes, por exemplo, mas por outro lado deixar as academias fechadas, um segmento que promove saúde.

Empreendimentos estão fechados desde março, quando foram decretadas as primeiras medidas de isolamento social para evitar a proliferação da pandemia do novo coronavírus. Apesar disso, em decretos distintos, estabelecimentos comerciais, bares e até shoppings centers foram autorizados a voltar o funcionamento. 

Na nota, conselho afirmou que existem 6,5 mil profissionais de educação física inscritos, além de 250 empreendimentos em Cuiabá. Além de cobrar um posicionamento favorável do município, entidade afirmou que está disposto a cobrar a adoção de medidas mitigadoras do risco de contágio e fiscalizar tais atitudes. 

“O CREF17-MT cobrará das diversas esferas de governo, a adoção de medidas mitigatórias, visando a manutenção dos empregos dos profissionais de educação física durante eventuais paralisações, bem como a manutenção dos salários e benefícios”, diz trecho do documento.

Ainda, conselho assegurou que irá cobrar medidas que garantam equilíbrio econômico, como prorrogação de vencimento e diminuição das alíquotas dos impostos, linhas de crédito de juros baixos, e parceria com o Procon para evitar a aplicação de penalidades de forma unilateral sem considerar o estado de calamidade enfrentado. 

Leia mais: Academias de Cuiabá ainda devem permanecer fechadas até dia 15 de junho


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS