Indústria

Indústrias ampliam produtividade em até 50% em Mato Grosso

Entre as indústrias com resultados acima da média, esteve a Cocolândia, em Rondonópolis
Sexta-feira 19 de Abril de 2019
Fiemt
Indústrias ampliam produtividade em até 50% em Mato Grosso
Foto: Fiemt

Produtividade é a palavra-chave para qualquer indústria que queira se manter no mercado. É por isso que o Instituto Senai de Tecnologia tem investido em programas de redução de desperdícios, atualização de tecnologias e melhorias em processos produtivos de várias indústrias do estado. Os índices de melhoria em produtividade chegaram a 50%.

Entre as indústrias com resultados acima da média, esteve a Cocolândia, em Rondonópolis, que sentiu os maiores impactos na linha de produção com aumento de produtividade por operador em 50%. Os resultados foram obtidos através da digitalização de uma das linhas de produção, um dos conceitos que caracterizam a indústria 4.0, ou 4ª Revolução industrial.

O instituto realizou a implantação de métodos de digitalização e conectividade, bem como de melhoria de processos e solução de problemas. A aplicação de sensores e de tecnologias como internet das coisas, computação em nuvem e Big Data auxiliaram na obtenção e tratamento de informações fundamentais do processo e ajudaram os gestores a compreender melhor eventos que ocorrem na produção.

Também participou do piloto a Cerealista Faccio, de Nova Mutum, que obteve 33,68% de aumento no OEE (Overall Equipment Effectiveness ou Efetividade Global do Equipamento). Isso significa uma melhor eficiência na utilização dos equipamentos e, por consequência, avanço na produtividade. O retorno do investimento veio em menos de quatro meses.

Indústria avançada

Durante a consultoria, as empresas receberam capacitações para utilizar a Plataforma online - Minha Indústria Avançada (MInA), responsável por digitalizar e disponibilizar para acesso em nuvem os dados dos sensores instalados nas máquinas e também inseridos pelos operadores, auxiliando na tomada de decisão da empresa.

De acordo com o gerente de produção da Cocolândia, Igor Wislley de Souza, com a instalação dos sensores e a leitura mais eficiente dos dados, foi possível identificar mais facilmente as falhas no sistema de produção. “Acrescentamos qualidade e reduzimos os custos”. O sistema que custava R$20 mil saiu por R$4,5 mil, por conta do subsídio oferecido pelo Senai.

Resultados

Empresas que desejam ampliar a produtividade podem recorrer ao novo programa do Sesi e Senai ‘Indústria Produtiva’, que apresenta soluções voltadas para melhoria de processos, redução de custos e inovação. Entre os serviços disponíveis estão assessorias em Saúde e Produtividade, consultorias em Tecnologias para Eficiência Produtiva e cursos de curta duração. Já está no ar a plataforma do novo programa do Sesi e Senai ‘Indústria Produtiva’. Pelo site, clique em ‘monte seu programa’ e selecione as opções deseja! das que um consultor entrará em contato.

Produtividade industrial

O trabalhador brasileiro leva uma hora para agregar a mesma quantidade de valor em um produto ou serviço que um norte-americano consegue realizar em 15 minutos e um alemão ou coreano em 20 minutos. “Nem sempre o problema está no trabalhador, em muitos casos há atrasos na formação e na infraestrutura das empresas”, explica o gerente do IST, Anderson Kurunczi Domingos. Segundo ele, com as ferramentas certas é possível gerar cada vez mais resultados, sempre focando no desenvolvimento e no aumento da competitividade.

Mais informações: 0800 777 9737


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS