Etanol de Milho

Produção de etanol de milho deve ser histórica em Mato Grosso na safra 2019/2020

A expectativa nesta safra é de produção de cana-de-açúcar em 232,8 mil hectares, sendo parte dessas áreas pertencentes às próprias unidades de produção
Quinta-feira 09 de Maio de 2019
Redação MT Econômico/Conab
Produção de etanol de milho deve ser histórica em Mato Grosso na safra 2019/2020

Dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontam que Mato Grosso além de ser o maior produtor de milho do país, também deve ter safra recorde na produção do etanol extraído do cereal.

Considerando a oferta de anidro e hidratado, oriundos do milho, será mais de 1,05 bilhão de litros, volume recorde de produção no Estado. 

Mato Grosso é responsável por 74,6% da produção de etanol de milho do país. 

Somente do hidratado, que é utilizado como combustível, que mais do que manter a posição de líder, o Estado vai dobrar a produção, ampliando a oferta em mais de 106%. 

Mato Grosso passará de 387,50 milhões de litros na atual safra (2018/19) para 800,75 milhões de litros no próximo ciclo. Se a projeção se confirmar, serão adicionados ao saldo mato-grossense, e consequentemente, ao mercado local, novos 413 milhões de litros, crescimento de 106,6%. 

Para a produção de anidro – que é adicionado à gasolina – Mato Grosso deverá ofertar 245 milhões de litros, incremento anual de 50,60 milhões de litros, ou de 25% sobre a oferta anterior em 203,49 milhões de litros. 

Mato Grosso conta com quatro usinas de etanol, três delas operam na modalidade “flex” – produzindo o biocombustível a partir da cana e do milho – e uma outra planta produz o etanol utilizando somente milho. 

Segundo a União Nacional do Etanol de Milho (Unem), pelo menos sete usinas de etanol de milho deverão ser construídas ou ampliadas no Centro-Oeste este ano, movimentando R$ 3 bilhões em investimentos. 

A expectativa nesta safra é de produção de cana-de-açúcar em 232,8 mil hectares, sendo parte dessas áreas pertencentes às próprias unidades de produção e outras atreladas aos fornecedores. O rendimento médio está inicialmente estimado em 72,15 kg/ha, gerando assim uma projeção para a produção final de 16,79 milhões de toneladas. Se confirmados os dados apresentados ontem, a produção de cana recuará 3,2%, mesmo com a área 1,7% maior. O peso negativo vem da projeção de produtividade que deve diminuir em quase 5%, saindo de 75,78 mil quilos por hectare para a atual projeção de 72,15 mil quilos. 

A maior usina do estado está localizada em Lucas do Rio Verde. Ela foi responsável pela produção de 220 milhões de litros de etanol, em 2018.

Em Mato Grosso, diversas indústrias estão investindo nas plantas de etanol de milho, por ser mais produtivo e eficaz do que a produção tradicional do biocombustível. No mês de março, o setor sucroenergético do estado se reuniu num evento e o principal tema foi a produção de etanol de milho. Confira essa publicação do MT Econômico neste link
 


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS