Evento Sucroenergético

Produção de etanol de milho é destaque no 8º Encontro Sucroenergético de Mato Grosso

A vantagem do biocombustível produzido à base da leguminosa é o volume maior produzido
Quinta-feira 14 de Março de 2019
Redação
Produção de etanol de milho é destaque no 8º Encontro Sucroenergético de Mato Grosso
Foto: MT Econômico

Produção de etanol de milho é um dos temas que terão destaque na 8ª edição do Encontro Sucroenergético de Mato Grosso, que reunirá empresários e trabalhadores ligados ao setor, no próximo dia 27 deste mês, no auditório da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), em Cuiabá.

Este ano, o coordenador do evento e consultor técnico de vendas da Uniweld Indústria de Eletrodos Ltda, Sérgio Lessa, prevê uma programação voltada às melhores práticas no campo e indústria, com ênfase na produção de etanol de milho.

Segundo Lessa, cerca de 20 empresas relacionadas ao setor de energia renovável devem participar do evento, com público estimado em 180 pessoas.

“Com a revolução que está ocorrendo na área de etanol de milho, iremos abordar o cenário atual e perspectivas, por meio de palestras e apresentação de soluções ao setor, falando sobre o que pode ser processado do milho, o subproduto gerado e as vantagens na utilização do grão para a transformação em etanol. Vamos trazer também, as novidades ao setor de cana-de-açúcar, que hoje é a principal fonte de geração de combustível e açúcar no mercado”, explicou Lessa à reportagem do MT Econômico.

O consultor aponta que o setor já vem investindo na produção do biocombustível utilizando como base o milho e lembrou que o produtor de cana tem a possibilidade também, de implementar uma planta “flex”, ou seja, continuar produzindo álcool à base de cana-de-açúcar, mas também utilizar o potencial produtivo do milho.

“O produtor de cana pode ter sua planta de cana e também de milho, incorporada em sua propriedade”. Ele cita como vantagem o volume maior de produção de combustível a partir do milho, sendo, que uma tonelada da leguminosa produz 420 litros de etanol, enquanto que a da cana consegue extrair de 80 a 120 litros por tonelada.

“A cada evento a gente busca introduzir mais isso. É um mercado que só cresce”, justifica.

O evento também irá abordar a performance de novos equipamentos no mercado, além de palestras com especialistas do setor.

A programação do evento está sendo finalizada e será divulgada em breve.


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS